Culinária

Cinco dos melhores restaurantes brasileiros são de jurados de reality show

Mani, de Helena Rizzo; Oro, de Felipe Bronze; Glouton, de Léo Paixão; Lasai, de Rafa Costa e Silva; Arturito , de Paola Carosella; estão entre os 17 brasileiros listados nos 100 melhores restaurantes da América Latina

Jéssica Gotlib
postado em 23/11/2021 16:41 / atualizado em 24/11/2021 17:11
Mani, de Helena Rizzo, e Arturito, de Paola Carosella, são dois dos restaurantes que representam o Brasil entre os melhores da América Latina -  (crédito: Divulgação/TV Bandeirantes )
Mani, de Helena Rizzo, e Arturito, de Paola Carosella, são dois dos restaurantes que representam o Brasil entre os melhores da América Latina - (crédito: Divulgação/TV Bandeirantes )

A lista dos 100 melhores restaurantes da América Latina, divulgada na segunda-feira (22/11), trouxe 17 brasileiros em destaque. Além d’A Casa do Porco, único estabelecimento nacional no ranking dos 50 melhores do mundo, outros 16 estabelecimentos representaram o país.

E cinco deles são de nomes bem conhecidos do público: são comandados por chefes que estão ou estiveram em reality shows. Mani, de Helena Rizzo; Lasai, de Rafa Costa e Silva; Oro, de Felipe Bronze; Glouton, de Léo Paixão; Arturito, de Paola Carosella ocupam a 7ª, 22ª, 51ª, 68ª, 86ª posição, respectivamente.

Confira o ranking completo de restaurantes brasileiros:

  1. DOM (3º)
  2. Maní (7º)
  3. A Casa do Porco (11º)
  4. Lasai (22º)
  5. Mocotó (23º)
  6. Oteque (41º)
  7. Manu (49º)
  8. Oro (51º)
  9. Tuju (54º)
  10. Evvai (65º)
  11. Fasano (65º)
  12. Glouton (68º)
  13. Tordesilhas (75º)
  14. Soeta (77º)
  15. Arturito (86º)
  16. Komah (88º)
  17. Corrutela (90º)

Na TV, a chef Helena Rizzo assumiu a vaga antes ocupada por Paola Carosella no MasterChef Brasil. Já Léo Paixão e Rafa Costa e Silva dividem os holofotes no Mestres do Sabor. Enquanto Felipe Bronze brilha no Top Chef.

Como o ranking foi feito a partir das melhores impressões coletadas nas edições anteriores, algumas das casas brasileiras listadas fecharam as portas durante a pandemia. É o caso de Tuju e Corrutela — que têm a promessa de reabrir em 2022. O mesmo ocorreu com o argentino Tegui, sem previsão de volta.

Brasília fora da lista

Apesar de prezar pela variedade de regiões, a representação brasileira no catálogo é formada especialmente por restaurantes de São Paulo (capital). A metrópole é sede de 11 entre os 17 brasileiros. Em seguida, vem o Rio de Janeiro com três representantes e Vitória, Belo Horizonte e Curitiba, cada uma com um restaurante na lista. Nenhum estabelecimento de Brasília conseguiu emplacar uma posição.

O Peru comanda a lista com os restaurantes Central e Maido formando uma dobradinha nos dois primeiros lugares. A comissão julgadora da lista é composta por jornalistas, críticos e especialistas em gastronomia de toda a América Latina. São 250 votantes sendo que cada jurado deve escolher dez restaurantes aos quais tenha ido nos últimos 18 meses.

Do total, pelo menos quatro precisam estar fora do país de origem do julgador. Por isso a edição 2021 foi em formato especial, uma vez que as restrições de circulação diminuíram as possibilidades de intercâmbio cultural e, mesmo, de visitas a estabelecimentos dentro do próprio país. A expectativa dos organizadores é que o concurso 2022 siga as regras tradicionais.

 

 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

CONTINUE LENDO SOBRE