Rock in Rio

Fim do jejum: após Lollapalooza, contagem regressiva para o Rock in Rio

Com anúncio do Rock in Rio, ingressos para o sete dias de programação esgotaram em 24 horas de venda

Correio Braziliense
postado em 07/04/2022 06:00 / atualizado em 07/04/2022 10:26
 (crédito: Rock in Rio/Facebook/Reprodução)
(crédito: Rock in Rio/Facebook/Reprodução)

Os shows e festivais estão dando os primeiros passos para o retorno em 2022. São Paulo já recebeu o gigante Lollapalooza Brasil quase três anos depois da última edição que havia tomado o Autódromo de Interlagos e abriu as portas para o retorno dos shows e grandes eventos pelo Brasil. O Rock in Rio, maior evento musical do país e um dos maiores do mundo, pegou a mesma onda e anunciou as atrações, com a lista encabeçada por Iron Maiden, Post Malone, Justin Bieber, Guns n' Roses, Green Day, Coldplay e Dua Lipa, e iniciou a venda de ingressos.

O resultado foi impressionante, com o esgotamento de cinco dos sete dias do festival em menos de 24 horas de venda, sendo os dois primeiros com os ingressos esgotados em menos de uma hora. Apenas os dias capitaneados por Iron Maiden e Guns n' Roses ainda têm ingressos disponíveis.

O festival não pôde ser realizado em 2021, ano para o qual estava marcado, por conta da pandemia. Então este ano assinala o reencontro do festival e do público. Com mais palcos, mais atrações e uma escalação eclética que vai do rap ao metal, passando pelo funk, rock clássico, MPB, pop e R&B, o primeiro Rock in Rio desde 2019 promete ser mais um grande passo para o caminho do Brasil sediar os maiores festivais do mundo, ainda mais que a própria marca anunciou o The Town, evento que alternará anualmente com o Rock in Rio.

As atrações escolhidas para compor a line-up do palco Mundo deste ano são muito diversas. Os rappers Migos e Megan Thee Stallion; as vozes pop Camila Cabello e Demi Lovato; bandas como Maneskin e The Offspring; e ícones como Megadeth, Dream Theater e Billy Idol. Os nomes brasileiros passam pela estreante Iza, o ícone Djavam e as figurinhas carimbadas Ivete Sangalo, Alok, CPM 22, Capital Inicial e Sepultura, que convida a Orquestra Sinfônica Brasileira para um show especial.

Encontros

"O projeto de um festival não é sobre música, claro que a música é o principal, mas é um projeto de encontros", afirma João Uchôa, arquiteto responsável pela criação dos palcos do Rock in Rio e que também assina o projeto do The Town. "Você vai ali curtir uma experiência, o artista está ali, mas ele não é mais importante que o público ou que o festival", complementa.

O festival, que segundo o próprio criador Roberto Medina foi o primeiro no mundo a deixar o público iluminado durante os shows, retorna em busca de trazer de volta a experiência que o público está sentindo falta, o calor da música. Rock in Rio de 2022 quer fazer jus a própria música tema e mostrar ao público como seria "se o mundo começasse agora, e tudo fosse nosso outra vez".

 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

CONTINUE LENDO SOBRE