Viagens

Senacon notifica novamente Hurb por irregularidade em pacotes

A Secretaria Nacional do Consumir (Senacon) deu até amanhã (4/3) para que a empresa esclareça a venda de pacotes flexíveis mesmo após proibição

Segundo a Senacon, consumidores voltaram a reclamar neste ano de pacotes de viagens vendidos pela Hurb, mas não cumpridos -  (crédito: Marcelo Camargo/Agência Brasil)
Segundo a Senacon, consumidores voltaram a reclamar neste ano de pacotes de viagens vendidos pela Hurb, mas não cumpridos - (crédito: Marcelo Camargo/Agência Brasil)
postado em 03/04/2024 23:43

A Secretaria Nacional do Consumidor (Senacon) notificou novamente a Hurb (antigo Hotel Urbano) pela venda de pacotes turísticos flexíveis. Segundo o órgão, a empresa continua comercializando os produtos sem ter cumprido compromissos assumidos com a secretaria nem comprovar que consegue garantir os serviços já contratados.

A Hurb foi notificada após uma série de denúncias de consumidores que compraram pacotes mas não puderam viajar. Em 2023, foram mais de 53 mil reclamações na plataforma consumidor.gov.br. Apenas nos primeiros três meses de 2024, já são 7.741 queixas. A empresa tem até amanhã (4/3) para prestar esclarecimentos. 

"A Hurb deverá demonstrar que está cumprindo os contratos e que tem condições financeiras de celebrar novos contratos", afirmou o secretário nacional do Consumidor, Wadih Damous. Ele disse ainda que o Termo de Ajustamento de Conduta (TAC) solicitado pela companhia também ficará suspenso até o esclarecimento dos fatos.

"Fomos surpreendidos por notícias veiculadas na imprensa e estamos averiguando o possível descumprimento da Hurb da medida cautelar da Senacon sobre a comercialização de pacotes no formato 'flexível', o que inviabiliza, por ora, as negociações de um termo de ajustamento de conduta", ressaltou. Agora, se descumprir a medida, a Hurb ficará sujeita a multa diária de R$ 50 mil.

Passageiros não conseguiram viajar

Os pacotes flexíveis não fixam uma data para a viagem. A Hurb vendeu uma série desses produtos a preços abaixo do mercado, mas não honrou o compromisso com os consumidores. O caso é parecido com o da 123 Milhas, e as irregularidades foram reveladas no ano passado.

A Senacon afirmou ainda que a empresa não entregou um documento contendo ações para corrigir as irregularidades na venda, como prometido. A secretaria revelou ainda que, nos últimos meses, recebeu uma série de reclamações por cancelamentos de viagens sem aviso prévio, atraso no pagamento a hotéis e falta de assistência aos clientes por problemas durante a viagem.

Gostou da matéria? Escolha como acompanhar as principais notícias do Correio:
Ícone do whatsapp
Ícone do telegram

Dê a sua opinião! O Correio tem um espaço na edição impressa para publicar a opinião dos leitores pelo e-mail sredat.df@dabr.com.br

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação