FUTEBOL

Guiné goleia na Copa Africana, faz história e ganha R$ 1 milhão

Vice-presidente de Guiné Equatorial disse que daria prêmio de R$ 250 mil por cada gol sobre a gigante Costa do Marfim

 10 de Guiné fez dois gols no inacrerditável 4 a 0 sobre os anfitriões -  (crédito: Issouf Sanogo/AFP via Getty Images)
10 de Guiné fez dois gols no inacrerditável 4 a 0 sobre os anfitriões - (crédito: Issouf Sanogo/AFP via Getty Images)
Jogada10
postado em 23/01/2024 17:17 / atualizado em 23/01/2024 17:18

Na manhã desta segunda-feira (22/1), o vice-presidente de Guiné Equatorial, Teodoro Nguema Obiang Mangue, conversou com os jogadores da seleção de seu país. Poucas horas depois, eles enfrentariam, pela terceira rodada do Grupo A da Copa Africana-2024, a Costa do Marfim. Simplesmente a anfitriã da competição. Teodoro estava ciente da missão duríssima contra um gigante duas vezes campeão continental, cheio de astros. Afinal, sua Guiné Equatorial é quase incipente no futebol.

Pra se ter ideia, o craque do time, Nsoe, joga na quarta divisão da Espanha (Intercity). O país só é lembrado no mapa do futebol por ter sido sede do torneio em 2015 e terminou  em 4º lugar. Teodoro, então, veio com a novidade: “A cada gol que fizermos neste jogo contra a Costa do Marfim, vocês dividirão um prêmio de 50 mil euros (R$ 250 mil).”

Os jogadores olharam incrédulos. Mas sabiam que poderiam ter algum sucesso. Com quatro pontos, contra três da Costa do Marfim, a vaga à próxima fase estaria assegurada desde que o time perdesse de pouco. E, se na estreia já tinham segurado um gigante, a Nigéria (1 a 1), por qual motivo não sonhar?  Horas depois, ao fim da partida, era o mundo que estava incrédulo: Guiné 4 a 0. E os 23 jogadores do elenco vão dividir um “bicho” de R$ 1 milhão.

Guiné é dominada, mas goleia

O jogo é daqueles que os números enganam. A Costa do Marfim teve 69% de posse de bola. Guiné, 39% e errando demais: 69% de passes certos, sendo que o razoável é media na casa dos 80% (o rival teve 84%). Em finalizações, os marfinenses massacraram: 22 a 1o. Mas o que vale é eficácia nos arremates. Das 22, apenas três foram na direção do gol. Guiné acertou cinco. Quatro na rede. Nsoe fez  1 a 0 aos 42 minutos. Aos 28 da etapa final, Ganet ampliou e isso descontrolou os anfitriões. Aos 30, Nsoe ampliou e, aos 43, Buyla fechou a surra, já contando o milhão de prêmio.

Costa do Marfim em perigo

Assim, Guiné termina em primeiro lugar com os mesmos sete pontos da Nigéria. Ambos avançam de fase. Costa Marfim, com três pontos, terminou em terceiro. E vai ter de esperar o fim da terceira rodada para saber se terminará ou não entre os quatro melhores terceiros. Somente os dois piores são eliminados e os marfinenses já estão na frente de um deles, Gana. Restam jogos de quatro grupos. Os anfitriões precisam ficar na frente de apenas mais um. É bem provável. Mas um favorito avançar desse jeito acaba com o moral.

País de língua espanhola e sem astros

Já Guiné  Equatorial, país que tem o espanhol como língua oficial (falada por 70% da população), é só alegria. Afinal, é uma seleção que tem um único jogador atuando em clube de elite, o goleiro Owono. E mesmo assim ele é apenas um reserva no modesto Alavés/ESP. Mas este nanico país que é um pouco maior do que o menor estado do Brasil (Sergipe) faz história na CAN. E o elenco está muito animado com a  próxima reunião com o vice-presidente. Vai ter mais premiação? Pode ter certeza que sim.

Siga o Jogada10 nas redes sociais: TwitterInstagram e Facebook.

Gostou da matéria? Escolha como acompanhar as principais notícias do Correio:
Ícone do whatsapp
Ícone do telegram

Dê a sua opinião! O Correio tem um espaço na edição impressa para publicar a opinião dos leitores pelo e-mail sredat.df@dabr.com.br

-->