FUTEBOL

Pronto-socorro: quantidade de lesões durante os estaduais assusta clubes

Flamengo tem baixas de De la Cruz e Allan, enquanto Vasco sofre com ausência da dupla Paulinho e Jair. Corinthians, Botafogo, Inter e Grêmio também têm pacientes na enfermaria

O meia vascaíno Paulinho deve retornar aos gramados somente no segundo semestre devido a uma ruptura no joelho direito -  (crédito: Reprodução/Goat)
O meia vascaíno Paulinho deve retornar aos gramados somente no segundo semestre devido a uma ruptura no joelho direito - (crédito: Reprodução/Goat)
postado em 17/02/2024 07:33 / atualizado em 17/02/2024 07:33

Existe um surto de lesões nos gramados do Brasil. Pouco mais de um mês depois do início dos campeonatos estaduais, alguns dos principais clubes do país se veem na obrigação de corrigir rotas e adaptar planejamentos a curto, médio e longo prazo. O período é uma espécie de laboratório no qual os professores donos das pranchetas prezam pela disponibilidade de todos os jogadores. No entanto, não é bem isso que acontece. Problemas físicos de diferentes graus no primeiro ato da nova temporada assustam e ligam o alerta nos prontos-socorros da bola.

O Flamengo é uma das equipes com o plantão médico mais agitado neste início de temporada. O volante Allan está fora por 12 dias para um reequilíbrio muscular. Em 2023, o ex-Atlético-MG perdeu oportunidades de reivindicar a titularidade devido a constantes problemas físicos. Inclusive, chegou a ficar fora por dois meses e perder os jogos da final da Copa do Brasil contra o São Paulo por causa de ruptura da fáscia plantar do pé esquerdo. Não bastassem as inconstâncias com Allan, Tite lida com a carência do meio-campista Nicolás De la Cruz.

A segunda contratação mais cara da janela de transferências do Brasil até o momento — R$ 79 milhões — trata desconforto no ombro direito após quedas no gramado do Maracanã, no clássico contra o Botafogo, em 7 de fevereiro. O quadro não parece tão simples. O camisa 18 se reapresentou de tipoia no dia seguinte e sem previsão de retorno.

Antes de desembarcar no Rio de Janeiro, De la Cruz desfalcou o River Plate em nove das 21 partidas disputadas no ano passado. Ou seja, quase 43% dos compromissos oficiais do clube. Os números não chamariam a atenção quando relacionados a atletas com idade avançadas. O uruguaio tem 26 anos. Em 2023, os problemas foram desde tendinite, gripe a incômodos musculares, como na coxa. Também há uma preocupação com um problema crônico no joelho direito dele. No clube argentino e na seleção, ele era submetido a constantes controles de carga.

Vasco da Gama, o seu drama assim se fez. O cruzmaltino também tem um intenso pronto-socorro instalado no Centro de Treinamento Moacyr Barbosa, na Zona Oeste do Rio. São dois casos semelhantes. O meia Paulinho sofreu uma ruptura do ligamento cruzado anterior do joelho direito, justamente em Brasília, no empate por 2 x 2 contra o Bangu, no Estádio Mané Garrincha. O boletim médico estabeleceu, no mínimo, oito meses de recuperação. O volante Jair foi diagnosticado com o mesmo problema, mas no joelho esquerdo. O cão de guarda passou por cirurgia na quarta-feira e pode retornar em até 10 meses.

A bruxa segue solta na Cidade Maravilhosa. Na quarta-feira, o atacante Luiz Henrique deu início às preocupações do técnico Tiago Nunes e da torcida do Botafogo. A contratação mais cara da história do futebol brasileiro, negociada por R$ 106 milhões, entrou no segundo tempo da vitória por 3 x 0 sobre o Volta Redonda e saiu 37 minutos depois.

Na sexta-feira (16/2), foi detectado com lesão na panturrilha esquerda. Não há indício de retorno, mas a tendência é de que o jogador de 23 anos acompanhe de longe o clássico contra o Vasco, no domingo (18/2), às 16h, no Maracanã, e a primeira partida pela Pré-Libertadores, diante do Aurora, na quarta-feira (21/2), às 21h30, na altitude de mais de 2.500m de Cochabamba, na Bolívia.

Em São Paulo, Pedro Raul mal chegou e foi transferido para a enfermaria. O centroavante recém-chegado do Toluca, do México, acumulou 174 minutos em campo antes de ser constado com lesão no músculo posterior da coxa direita. O camisa 20 iniciou recuperação, mas não jogará o Dérbi contra o Palmeiras, no domingo, às 16h, na Arena Barueri.

Porto Alegre também passa pelo "contágio" de lesões. O técnico Renato Portaluppi reinventa o Grêmio após a baixa do meia-atacante Soteldo. O baixinho venezuelano era um dos destaques da retomada de trabalho tricolor, com um gol e uma assistência em quatro partidas. A lesão de grau três no músculo adutor da coxa direita, porém, interrompeu o bom momento e demandará mais de dois meses para reabilitação com condições de jogo.

No lado colorado da capital gaúcha, o problema é debaixo das traves. Contratado para 2024, o goleiro Ivan se machucou no fim do primeiro tempo da estreia contra o Avenida, em 21 de janeiro. Passou por cirurgia no joelho direito no dia seguinte, mas segue sem data para retorno.

Gostou da matéria? Escolha como acompanhar as principais notícias do Correio:
Ícone do whatsapp
Ícone do telegram

Dê a sua opinião! O Correio tem um espaço na edição impressa para publicar a opinião dos leitores pelo e-mail sredat.df@dabr.com.br

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação