São Paulo

São Paulo pagará R$ 400 mil por mês a Daniel Alves mesmo após condenação

O vínculo de Daniel Alves com o São Paulo foi rescindido em setembro de 2021. Ele chegou ao clube na gestão de Carlos Augusto de Barros e Silva, o Leco

Daniel Alves, jogador pelo time do São Paulo -  (crédito: Rubens Chiri,/São Paulo FC)
Daniel Alves, jogador pelo time do São Paulo - (crédito: Rubens Chiri,/São Paulo FC)
postado em 22/02/2024 17:04

Daniel Alves, condenado a quatro anos e seis meses de prisão por agressão sexual na Espanha, ainda tem valores pendentes a receber do São Paulo. O jogador teve uma passagem pelo clube entre 2019 e 2021. Ao deixar o MorumBis, ele fez um acordo com a equipe para parcelar a rescisão contratual. O valor acordado foi R$ 25 milhões, em 60 parcelas de R$ 400 mil.

O vínculo de Daniel Alves com o São Paulo foi rescindido em setembro de 2021. Ele chegou ao clube na gestão de Carlos Augusto de Barros e Silva, o Leco. A saída, contudo, foi já com Julio Casares na presidência, responsável por negociar os valores da rescisão e reduzir para R$ 25 milhões a pendência.

O São Paulo não pode parar de pagar a dívida. Em 2021, ainda antes de rescindir, Daniel Alves acionou a Câmara Nacional de Resolução de Disputas da CBF por salários atrasados. Na época, o clube poderia perder pontos em caso de punição. Se o acordo da dívida não for cumprido, o processo pode ser reaberto. O jogador chegou a atuar em 18 partidas enquanto o processo corria.

Conforme o balanço financeiro de 2022, o clube devia ainda R$ 22,8 milhões a Daniel. Ao todo, o São Paulo gastou R$ 41 milhões com o lateral, considerando salário e rescisão. Em agosto de 2023, houve um bloqueio de 30% de cada parcela paga pelo São Paulo em uma ação de pensão alimentícia movida pela ex-mulher de Daniel Alves, mãe de dois filhos do jogador.

O brasileiro está preso na Espanha há 13 meses. Com a condenação desta quinta-feira, dia 22, ele vai continuar privado de liberdade. A defesa ainda pode recorrer à condenação, além de solicitar que Daniel aguarde este julgamento em liberdade. A sentença foi de quatro anos e seis meses de reclusão, além de cinco anos em liberdade vigiada e nove sem poder se aproximar ou ter contato com a vítima, uma mulher de 23 anos.

PASSAGEM FRUSTRADA

Daniel Alves chegou ao São Paulo com uma apresentação para 40 mil torcedores. Ele dizia estar emocionado e que finalmente jogaria no seu clube "do coração". Vestindo a camisa 10, o plano do jogador era deixar a lateral-direita e jogar no meio de campo.

Em 2021, o atleta foi capitão do time, na ausência do zagueiro Miranda. Naquele ano, ele foi campeão paulista, sem jogar a final diante do Palmeiras. O desgaste entre São Paulo e Daniel Alves começou quando ele deixou o clube, que sofria com maus resultados no Campeonato Brasileiro, para defender a seleção brasileira nos Jogos Olímpicos de Tóquio. Aos 38 anos, o lateral-direito foi um dos três jogadores, acima dos 23 anos convocados.

Após a conquista, o jogador se recusou a voltar para o clube, alegando o atraso nos salários. A partir daí, começaram as negociações para o acordo de rescisão, paga até hoje.

Gostou da matéria? Escolha como acompanhar as principais notícias do Correio:
Ícone do whatsapp
Ícone do telegram

Dê a sua opinião! O Correio tem um espaço na edição impressa para publicar a opinião dos leitores pelo e-mail sredat.df@dabr.com.br