Superação

Após quase morrer atropelado por trem do metrô, jovem é aprovado na USP

Estudante de 19 anos ficou em coma e precisou passar por nove cirurgias. Depois de conseguir se recuperar, ele passou o ano passado inteiro estudando e hoje comemora a aprovação em direito

Nathallie Lopes
postado em 21/02/2024 16:19 / atualizado em 21/02/2024 16:20
Jovem supera atropelamento por trem do Metrô e é aprovado na USP -  (crédito: Arquivo Pessoal)
Jovem supera atropelamento por trem do Metrô e é aprovado na USP - (crédito: Arquivo Pessoal)
int(10)

Caio do Nascimento Barros, 19 anos, tem uma história de grande superação para contar. Em maio de 2022, caiu nos trilhos do Metrô na Avenida Paulista (SP), voltando do colégio em que estudava para casa, e foi atropelado pelo trem. Após quebrar diversos ossos, fazer nove cirurgias, ficar 16 dias em coma e perder metade do último ano do Ensino Médio, ele conseguiu superar o acidente e hoje comemora a aprovação no curso de direito da Universidade de São Paulo (USP).

O sonho do jovem sempre foi cursar direito na USP, mas, com o acidente, viu esse sonho ficar distante. Após seis meses de recuperação, e hoje sem sequelas, Caio contou em entrevista ao Correio que não se lembra como caiu nos trilhos do metrô, apenas do momento em que acordou já no hospital.

“Fiquei muito abalado quando não pude entrar na faculdade naquele ano do acidente. Mas tomei isso como combustível para, em 2023, dedicar-me aos estudos e fazer direito, na USP. Foi muito cansativo, mas muito gratificante quando recebi o resultado”, disse.

Após o grave acidente, Caio precisou ficar afastado da escola se recuperando e fazendo fisioterapia. Em agosto passado, ele retomou os estudos, mas em casa, no formato on-line, e conseguiu terminar o 3º ano.

Somente quando estava totalmente recuperado, em 2023, começou um cursinho para a Fuvest, responsável pelo exame de ingresso na USP, e para o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem).

O jovem é o primeiro da família a ingressar em uma universidade pública. “Até agora não estou acreditando que eu consegui passar, foi uma benção”, disse.

O ano passado de Caio foi dedicado totalmente aos estudos. “Senti bastante nervosismo, mas quando o resultado saiu, em 21 de janeiro, às 8h, eu fui olhar e tinha lá meu nome. Quase pulei da minha cama e foi muita satisfação no momento. Meu pai começou a chorar, ele e minha mãe ficaram muito contentes por mim”, relata.

Sobre o início das aulas, marcadas para a próxima semana, Caio disse: “É muita ansiedade, estou com as expectativas lá em cima”.

*Estagiária sob supervisão de Lorena Pacheco 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação