Guerra no Leste Europeu

Ataque russo deixa sete mortos e um 'rio de fogo' no nordeste da Ucrânia

Segundo as autoridades locais, o ataque ocorreu com drones Shahed de fabricação iraniana

Segundo o governador da região de Kharkiv, Oleg Sinegubov, sete pessoas morreram no ataque, incluindo três crianças: uma de sete anos, uma de quatro anos e um bebê com cerca de seis meses -  (crédito: SERGEY BOBOK / AFP)
Segundo o governador da região de Kharkiv, Oleg Sinegubov, sete pessoas morreram no ataque, incluindo três crianças: uma de sete anos, uma de quatro anos e um bebê com cerca de seis meses - (crédito: SERGEY BOBOK / AFP)
postado em 10/02/2024 14:51

Sete pessoas, incluindo três crianças, morreram neste sábado (10/2) por um ataque de drone russo que incendiou um posto de gasolina na cidade de Kharkiv, no nordeste da Ucrânia, provocando um "rio de fogo" e a destruição de quinze casas. 

Segundo as autoridades locais, o ataque ocorreu com drones Shahed de fabricação iraniana. 

O fogo gerado após o impacto se espalhou rapidamente e obrigou a evacuação de cerca de cinquenta pessoas. 

Segundo o governador da região de Kharkiv, Oleg Sinegubov, sete pessoas morreram no ataque, incluindo três crianças: uma de sete anos, uma de quatro anos e um bebê com cerca de seis meses. 

Quatro pessoas, incluindo uma criança, foram resgatadas do incêndio e quinze casas foram destruídas.

"Havia uma família em uma das casas. Cinco pessoas. Dois pais e três filhos. Todos morreram, queimados vivos. Em outro prédio, havia um homem que não conseguia andar. Sua esposa cuidava dele. Da mesma forma, morreram, queimados vivos", disse Sergi Bolvinov, um oficial da polícia de Kharkiv. 

Oleksandre Lagutin conseguiu escapar do incêndio. "Houve um estrondo, tudo começou a queimar e em cinco minutos tivemos um rio de fogo", afirmou.

"Minha sogra ligou, ela disse que estava tudo queimando [...] aí ela ligou de novo e começou a gritar que as chamas estavam se espalhando pela casa. Ouvimos os últimos gritos e pronto, ela não deu sinais de vida novamente", contou Natalia, parente do casal falecido, à AFP. 

Segundo o policial, havia cerca de 3.800 toneladas de combustível armazenadas no posto.

"Massa infernal derretida"

"Toda a rua se transformou em uma massa infernal derretida. O combustível se misturou com a neve e quando começou a queimar, as casas localizadas ao longo da estrada começaram a queimar", explicou Bolvinov. 

"Nossa raiva é absoluta. Essas pessoas vão pagar por tudo", disse indignado o chefe da administração presidencial, Andrii Yermak, em mensagem no Telegram. 

Kharkiv e a cidade de Veliki Burluk, mais a leste, têm sido alvos frequentes de ataques desde o início da ofensiva russa na Ucrânia, no final de fevereiro de 2022. 

O governador da região de Kharkiv afirmou anteriormente que áreas civis foram atingidas em ambas as cidades, incluindo um café em Veliki Burluk. 

Em outras partes da Ucrânia, duas pessoas morreram e outras duas ficaram feridas em um bombardeio russo na cidade de Veletinske, na região sul de Kherson, informou a administração regional. 

O grande porto de Odessa, no Mar Negro, também foi alvo de ataques de drones russos, que deixaram quatro pessoas feridas, segundo o governador Oleg Kiper. E em Izmail, nas margens do Danúbio, os ataques destruíram instalações industriais, acrescentou.

No total, 23 dos 31 drones explosivos lançados pela Rússia nas regiões de Kharkiv e Odessa foram derrubados em pleno voo, informou a Força Aérea. 

O secretário-geral da Otan, Jens Stoltenberg, pediu neste sábado às potências europeias que aumentassem a sua produção de armas para ampliar as entregas que Kiev precisa. 

A menos de uma semana da reunião dos ministros da Defesa da Otan em Bruxelas, nos dias 15 e 16 de fevereiro, insistiu na necessidade de "reconstruir e desenvolver mais rapidamente a base industrial de defesa europeia". 

A Ucrânia reiterou várias vezes que precisava de mais sistemas de defesa aérea para enfrentar os bombardeios do Exército russo. 

O presidente ucraniano, Volodimir Zelensky, indicou neste sábado que conversou com o seu homólogo francês, Emmanuel Macron, sobre a situação na frente e as "necessidades da Ucrânia". 

"Discutimos a situação no campo de batalha e as necessidades de defesa da Ucrânia, incluindo drones, artilharia e munições, guerra eletrônica e sistemas de defesa aérea", escreveu Zelensky na rede social X.

Gostou da matéria? Escolha como acompanhar as principais notícias do Correio:
Ícone do whatsapp
Ícone do telegram

Dê a sua opinião! O Correio tem um espaço na edição impressa para publicar a opinião dos leitores pelo e-mail sredat.df@dabr.com.br