OBITUÁRIO

Quem é O.J. Simpson, ator e ex-jogador absolvido após longo julgamento

Simpson teve carreira marcada por recordes e polêmicas. O atleta morreu nesta quinta-feira (11/4), aos 76 anos, ao lado dos filhos e netos

Em 1994, o jogador foi acusado de matar a facadas sua ex-mulher, Nicole Brown, e seu amigo Ron Goldman em frente à casa dela -  (crédito: POOL / AFP)
Em 1994, o jogador foi acusado de matar a facadas sua ex-mulher, Nicole Brown, e seu amigo Ron Goldman em frente à casa dela - (crédito: POOL / AFP)
postado em 11/04/2024 12:35 / atualizado em 11/04/2024 12:36

Morreu, nesta quinta-feira (11/4), o ator e ex-jogador de futebol americano Orenthal James Simpson, conhecido como O.J. Simpson, aos 76 anos. Com uma carreira de destaque no esporte, a história de O. J. foi marcada também por um julgamento por assassinato, no qual foi absolvido depois de 372 dias.

Simpson começou no futebol americano em 1968, no Buffalo Bills. Em 1973, alcançou destaque por ser o primeiro jogador a correr mais de 2 mil jardas em uma temporada, feito alcançado por apenas 7 jogadores na história. Embora não tenha ganho nenhum Super Bowl, O.J. foi o maior corredor da NFL por 4 temporadas, e correu mais de 200 jardas em 6 jogos, recorde que se mantém até hoje.

"Julgamento do século"

Em 1994, o jogador foi acusado de matar a facadas sua ex-mulher, Nicole Brown, e seu amigo Ron Goldman, em frente à casa dela. Simpson e Brown se casaram em 1985 e tiveram dois filhos. Porém, O.J. mostrava comportamento agressivo contra a companheira, tendo inclusive quebrado os vidros do carro de Nicole com um bastão de beisebol enquanto ela estava dentro do veículo, tentando fugir de de uma briga.

O divórcio aconteceu em 1992, com três registros policiais de agressão contra o jogador. No ano seguinte, ele invadiu a casa da ex-mulher, que se trancou na cozinha.

Em 17 de junho de 1994, acusado de duplo homicídio, Simpson foi perseguido pela polícia por 96 quilômetros, trancou-se em seu carro e em seguida se entregou. A perseguição ganhou grande cobertura midiática e dividiu as atenções com a abertura da Copa do Mundo FIFA, que acontecia no mesmo dia.

Conhecido como "o julgamento do século", o julgamento de Simpson durou 372 dias. Foram ouvidas 133 testemunhas. Os autos tinham mais de 1 milhão de linhas escritas, e 20 milhões de espectadores assistiram o julgamento pela televisão. O anúncio do veredito bateu a audiência da chegada do homem à Lua e do funeral do presidente americano John Kennedy. Ao final, ele foi absolvido das acusações, mas dois anos depois perdeu um julgamento civil e teve que pagar U$ 33,5 milhões por danos.

Novo julgamento e prisão

Em 2007, porém, O.J. Simpson voltou aos noticiários policiais após ser preso em Las Vegas (Nevada) e acusado de assalto à mão armada, sequestro e formação de quadrilha. Em posterior julgamento, foi considerado culpado e condenado a 33 anos de prisão.

Dez anos depois, ele ganhou liberdade condicional perante uma comissão de quatro julgadores e foi solto em 1 de outubro de 2017.

Atualmente, vivia em Las Vegas e enfrentava o tratamento contra o câncer. Em nota publicada nas redes sociais de Simpson, a família informou que ele estava cercado por seus filhos e netos quando faleceu.

Gostou da matéria? Escolha como acompanhar as principais notícias do Correio:
Ícone do whatsapp
Ícone do telegram

Dê a sua opinião! O Correio tem um espaço na edição impressa para publicar a opinião dos leitores pelo e-mail sredat.df@dabr.com.br

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação