Amazônia

Oposição repercute desaparecimento de Dom Phillips e Bruno Pereira

Embaixador informou família de britânico que os corpos do jornalista e do indigenista foram encontrados, diz site do jornal britânico The Guardian

Isadora Albernaz*
postado em 13/06/2022 15:10 / atualizado em 13/06/2022 15:12
 (crédito: AFP)
(crédito: AFP)

Parlamentares se pronunciaram a respeito das novas atualizações sobre o desaparecimento do indigenista Bruno Pereira e do jornalista britânico Dom Phillips na região do Vale do Javari, nesta segunda-feira (13/6). O britânico The Guardian informou que corpos foram encontrados nas buscas na Amazônia. De acordo com o site do jornal, onde Dom Phillips é colaborador, a informação foi repassada pelo embaixador do Reino Unido aos familiares do jornalista. A Polícia Federal e a União dos Povos Indígenas do Vale do Javari (Univaja) negaram que tenham sido encontrados corpos. 

De acordo com a PF, foram encontrados materiais biológicos que estão sendo periciados e pertences pessoais dos desaparecidos, o que já havia sido noticiado. Ontem, completou uma semana desde que organizações indígenas anunciaram o sumiço da dupla.

Líder da minoria no Senado, Jean Paul Prates (PT-RN) usou seu perfil no Twitter para comentar o caso. “O alinhamento das nossas instituições com o discurso de Bolsonaro deixou de lado o papel delas como garantidoras da lei e da ordem. Indígenas e ribeirinhos sobrevivem à margem da proteção do Estado brasileiro e sob constantes ameaças”, afirmou.

Presidente da Comissão de Direitos Humanos, o senador Humberto Costa (PT-PE), que está em Sergipe para acompanhar as investigações sobre o caso Genivaldo, disse que nesta semana haverá uma audiência pública para tratar especificamente do desaparecimento de Pereira e Phillips.

“Nesse caso concreto, parece que há uma organização que se articula no tráfico de drogas e em outras atividades criminosas. Então, é mais grave ainda. Ao mesmo tempo, há um ataque frontal e brutal à liberdade de imprensa e à defesa da integridade territorial e da integridade física e psicológica dos povos indígenas e das pessoas que os dão suporte”, afirmou Costa.

A Comissão de Direitos Humanos e Minorias (CDHM) da Câmara ainda não se pronunciou a respeito das novas informações no caso. Mas Orlando Silva (PCdoB-SP), presidente da Comissão, reagiu à informação divulgada hoje pelo jornalista André Trigueiro de que corpos tinham sido encontrados na região de desaparecimento da dupla.

“Um sentimento de tristeza e impotência, pelas perdas e por saber que não serão as últimas, pois o governo incentiva o crime organizado na Amazônia”, afirma a publicação.

A informação dada por Trigueiro foi negada pela PF e pelas organizações indígenas que auxiliam nas buscas pelo indigenista e pelo jornalista inglês.

*Estagiária sob a supervisão de Andreia Castro

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

CONTINUE LENDO SOBRE