Congresso

Antes de assumir cadeira no STF, Dino preside 1ª sessão de 2024 no Senado

O ex-ministro da Justiça ficará no Senado até o próximo dia 21, quando pedirá exoneração para ser empossado como ministro da Suprema Corte em 22 de fevereiro

Em discurso, à tribuna, senador Flávio Dino (PSB-MA) -  (crédito: Waldemir Barreto/Agência Senado)
Em discurso, à tribuna, senador Flávio Dino (PSB-MA) - (crédito: Waldemir Barreto/Agência Senado)
postado em 06/02/2024 17:30

Em breve passagem pelo Senado, antes de assumir cadeira no Supremo Tribunal Federal (STF), o senador Flávio Dino presidiu, nesta terça-feira (6/2), a primeira sessão deliberativa da Casa. Após abertura do ano legislativo, ontem, o senador Weverton Rocha (PDT-MA), que presidia a sessão, cedeu o lugar para o ex-ministro da Justiça e Segurança Pública.

“Convido o senador Flávio Dino para presidir a sessão”, anunciou Weverton, conterrâneo de Dino. “Eu agradeço a gentileza do senador Weverton, que atribuo ao fato de sermos coestaduanos”, respondeu o ex-ministro.

Antes de assumir a presidência da sessão, Dino discursou no plenário, como forma de marcar o primeiro dia das cerca de duas semanas que ficará no Senado. “Presidente Weverton Rocha, a quem saúdo muito fraternalmente. Com toda certeza, nas nossas muitas caminhadas pelo Maranhão, em tantas lutas, jamais poderíamos imaginar essa circunstância em que estaria vossa excelência, como senador, presidindo a sessão, e eu, ao mesmo tempo, fazendo uma estreia e quase uma despedida desta tribuna”, disse.

“Este período aqui no Senado é um período de aprendizagem, de incorporar uma experiência a mais na minha vida, e levarei comigo para o exercício dessa função a que o Presidente da República e o Senado me designaram este aprendizado parlamentar aqui no Senado, complementando a vivência que tive na Câmara”, afirmou Dino.

Dino foi eleito nas últimas votações federais para o cargo de senador, pelo estado do Maranhão, mas não chegou a exercer a função, já que foi nomeado pelo presidente Luiz Inácio Lula da Silva para assumir o Ministério da Justiça e Segurança Pública (MJSP). Em novembro de 2023, o então ministro foi indicado pelo chefe do Executivo para ocupar a cadeira deixada pela ministra aposentada Rosa Weber, no STF.

Em dezembro, Dino foi sabatinado pelo Senado e aprovado para o cargo na Suprema Corte. Na ocasião, o indicado de Lula recebeu 47 votos favoráveis e 31 contrários. O senador ficará na Casa Alta até o próximo dia 21, quando pedirá exoneração para, em 22 de fevereiro, ser empossado como ministro do STF.

Gostou da matéria? Escolha como acompanhar as principais notícias do Correio:
Ícone do whatsapp
Ícone do telegram

Dê a sua opinião! O Correio tem um espaço na edição impressa para publicar a opinião dos leitores pelo e-mail sredat.df@dabr.com.br

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação