C.B PODER

Novo PAC deve entregar 400 unidades de atendimento odontológico móvel

Secretário de Atenção Primária à Saúde do Ministério da Saúde ressalta o investimento do novo PAC como base para o atendimento da população vulnerável

Felipe Proenço de Oliveira, secretário de Atenção Primária à Saúde do Ministério da Saúde, é o entrevistado do CB.Poder desta segunda-feira (1/4) -  (crédito:  Kayo Magalhães/CB/D.A Press)
Felipe Proenço de Oliveira, secretário de Atenção Primária à Saúde do Ministério da Saúde, é o entrevistado do CB.Poder desta segunda-feira (1/4) - (crédito: Kayo Magalhães/CB/D.A Press)
postado em 01/04/2024 20:00

Com o novo PAC, cerca de 400 Unidades Odontológicas Móveis entrarão em ação nos municípios brasileiros de todo o país, segundo informou o secretário de Atenção Primária à Saúde do Ministério da Saúde, Felipe Proenço de Oliveira, convidado do CB.Poder desta segunda-feira (1º/4) — parceria entre Correio e TV Brasília.

“Naquelas unidades rurais mais distantes vai a van com o consultório dentário para que se possa realizar o atendimento daquela população. Volta a se ter um investimento na estrutura para o atendimento da atenção primária à saúde”, ressalta Felipe.

Confira a entrevista na íntegra: 

O programa Brasil Sorridente, que completa 20 anos, foi pioneiro em política pública de saúde bucal no Brasil. No novo projeto, a equipe de profissionais será composta pelo cirurgião-dentista com um auxiliar de saúde bucal ou por um cirurgião dentista com um técnico de higiene bucal. “Esses profissionais, estando perto da casa das pessoas, trabalhando com as equipes de Saúde da Família, visitando as escolas, permitem esse atendimento mais contínuo, com essa identificação do primeiro atendimento odontológico, esse acompanhamento ao longo do tempo, possibilitando o tratamento preventivo”, acrescenta o secretário.

“Assim como é necessário equipes com médicos, também é fundamental equipes com dentistas”, analisa. Oliveira frisa que é fundamental ter tais equipes em unidades da Saúde da Família e nas Unidades Básicas de Saúde (UBS).

O Secretário de Atenção Primária à Saúde do Ministério da Saúde reitera que a estratégia de implementação da ação se baseia na atualização do financiamento das equipes, que estavam desfalcadas, e com uma diminuição significativa no governo anterior. “No ano passado, só com a atualização do financiamento, conseguimos criar mais de 5 mil das 33 mil equipes de saúde bucal existentes hoje. Foi uma expansão importante no ano passado e que, agora, segue com o incentivo para que os municípios possam implantar, junto das equipes de Saúde da Família, essas equipes de saúde bucal”, finaliza.

*Estagiária sob supervisão de Mariana Niederauer

Gostou da matéria? Escolha como acompanhar as principais notícias do Correio:
Ícone do whatsapp
Ícone do telegram

Dê a sua opinião! O Correio tem um espaço na edição impressa para publicar a opinião dos leitores pelo e-mail sredat.df@dabr.com.br

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação