Publicidade

Estado de Minas

Nova série brasileira da Netflix falará sobre esquema de corrupção

O mecanismo estreia em 23 de março e foi criada por José Padilha e Elena Soarez


postado em 18/01/2018 17:00 / atualizado em 18/01/2018 17:38

O delegado aposentado Marco Ruffo tem obsessão por investigar Roberto Ibrahim(foto: Netflix/Divulgação)
O delegado aposentado Marco Ruffo tem obsessão por investigar Roberto Ibrahim (foto: Netflix/Divulgação)

Vai estreiar em 23 de março a série brasileira O mecanismo. Estão envolvidos na produção grandes nomes do cinema brasileiro como o diretor José Padilha, de Narcos e Tropa de elite, e a roteirista Elena Soarez, de Filhos do carnaval e Eu tu eles. A dupla assina a criação do programa. O seriado é uma produção original e vai ser disponibilizado pelo serviço de streaming Netflix

 

A trama de O mecanismo foi baseada na atual realidade do Brasil e em dois livros: Lava jato - O juíz Sergio Moro e Os bastidores da operação que abalou o Brasil, ambos escritos por Vladimir Netto. A série contará como um pequeno grupo de investigadores é capaz de desmascarar um grande esquema de corrupção. Além disso, mostrará as consequências dessa investigação e quais foram os impactos sofridos em cada um dos envolvidos, tanto para os policiais quanto os corruptos. 

 

A atriz Carol Abras faz o papel de Verena Cardoni, a aprendiz de Marco Ruffo(foto: Netflix/Divulgação)
A atriz Carol Abras faz o papel de Verena Cardoni, a aprendiz de Marco Ruffo (foto: Netflix/Divulgação)

 

O protagonista é Marco Ruffo, interpretado por Selton Melo, um delegado aposentado da Polícia Federal que é obcecado pelas investigações desse caso. Ao lado do policial, está a personagem Verena Cardoni, papel da atriz Carol Abras, que é uma aprendiz de Marco Ruffo. Do outro lado da investigação está Roberto Ibrahim, representado por Enrique Diaz, um criminoso que é a obsessão de Ruffo. 

 

Neste primeiro momento, a série vai contar com oito episódios que foram gravados no Rio de Janeiro, Brasília, São Paulo e Curitiba. José Padilha vai dirigir o primeiro episódio, enquanto Felipe Prado, de Partiu e Tropa de elite, Marcos Prado e Daniel Rezende, de Cidade de Deus e Bingo: O rei das manhãs, vão dirigir os demais. 

 

Os episódios foram gravados no Rio de Janeiro, Brasília, São Paulo e Curitiba(foto: Netflix/Divulgação)
Os episódios foram gravados no Rio de Janeiro, Brasília, São Paulo e Curitiba (foto: Netflix/Divulgação)
 

 

A Netflix está por trás de outras séries originais brasileiras como 3%Coisa mais linda e Laerte-se.  

 

 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade