Publicidade

Correio Braziliense

Ventos ficam mais fracos e sensação é de mais calor na capital

Sensação de frio sentida nos últimos dias no começo das manhãs fica para trás, e fim de agosto será de dias de sol


postado em 29/08/2018 06:58 / atualizado em 29/08/2018 11:15

Tempo será aberto no DF(foto: Ana Rayssa/Esp. CB/D.A Press )
Tempo será aberto no DF (foto: Ana Rayssa/Esp. CB/D.A Press )

O inverno de 2018, em Brasília, está marcado por mudanças abruptas no clima. A estação já contou com o dia mais seco e o segundo dia mais quente no ano, mas também registrou chuva de granizo e sensação térmica de 5ºC. Agora, a variação de temperatura volta a confundir o brasiliense: enquanto a terça-feira começou com ventos gelados e fortes, provocando uma sensação de 9ºC, esta quarta-feira começou com sol e céu claro.

"O vento que foi intenso nos últimos dias será mais fraco hoje, soprando dentro da normalidade, entre 8 e 10m/s. É normal que exista um frio principalmente na madrugada, porque são poucas nuvens, e a Terra recebe uma incidência solar menor. Mas para os próximos dias, os começos das manhãs não devem ser tão gelados", explicou o meteorologista Mamedes Luiz Mello.

A madrugada registrou mínima de 11ºC e ventos moderados. A tarde terá máxima de 28ºC, entre 14h e 16h, e céu entre claro a parcialmente nublado. A umidade relativa do ar não castiga tanto, pois a seca extrema de dias atrás diminui, com índices de umidade relativa do ar variando entre 90% e 25%, segundo o Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet).
 

Sem sinais de chuva

Mamedes Luiz não deixa esperançosos aqueles que querem que chova novamente em Brasília. As previsões do meteorologista são que os últimos dias de agosto sejam de seca, com temperaturas que podem aumentar: "Para este final de mês e os dois primeiros dias de setembro, a tendência é que não chova e esquente um pouco, principalmente no fim de semana".

Ainda não é possível afirmar quando virá a próxima chuva, mas as previsões são de que ela caia de forma mais intensa na última quinzena de setembro. Pode ser que a seca dê trégua nas duas primeiras semanas do mês que vem, mas a possibilidade é baixa.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade