MINAS GERAIS

Dupla estupra e mata jovem prostituta após cobrar dívida de drogas

Conforme as autoridades, a vítima foi morta após se negar a repassar a um dos indivíduos os valores que ela obtinha por meio da prostituição

Bruno Luis Barros - Especial para o EM
postado em 23/05/2022 10:55 / atualizado em 23/05/2022 10:55
 (crédito: Wellington Fred/Jornal Diário do Aço - Redes Sociais/Reprodução)
(crédito: Wellington Fred/Jornal Diário do Aço - Redes Sociais/Reprodução)

O Ministério Público de Minas Gerais (MPMG) denunciou dois homens pelo estupro seguido do assassinato de Emanuela Souza Lima Ribeiro, de 22 anos, em Ipatinga, no Vale do Aço. O corpo da jovem, que morreu enforcada, foi achado pela polícia às margens do Ribeirão Ipanema.

Conforme as autoridades, a vítima foi morta após se negar a repassar a um dos indivíduos os valores que ela obtinha por meio da prostituição. Uma suposta dívida com o tráfico de drogas também teria sido a motivação para os crimes. A dupla está presa preventivamente na penitenciária Dênio Moreira de Carvalho, no município de Ibapa, informou o MP nessa sexta-feira (20/5).

Conforme o Ministério Público mineiro, o crime ocorreu em 22 de abril deste ano, sendo que a denúncia foi formalizada e encaminhada à Vara de Execuções Penais, Cartas Precatórias Criminais e do Tribunal do Júri da Comarca de Ipatinga na última terça-feira (17/5).

No início do mês de maio, o delegado da Polícia Civil do município, Marcelo Franco Marino, declarou que Emanuela foi parar nas ruas após se viciar no consumo de drogas. Na ocasião, ela foi abordada pelo homem de 29 anos, com o qual iniciou um relacionamento amoroso. Conforme Marino, foi esse indivíduo que apresentou o crack para a vítima.

“Ele começou obrigá-la a se prostituir e a entregar o dinheiro da prostituição para ele”, detalhou, na ocasião, o titular da Delegacia de Homicídios de Ipatinga em entrevista ao jornal local "Diário do Aço". Posteriormente, ainda conforme o delegado, a vítima deixou de repassar as quantias recebidas pelos programas sexuais, o que ocasionou brigas entre o casal.

O outro denunciado, de 52 anos, envolvido com o tráfico de drogas na região, cobrava da vítima uma suposta dívida de entorpecentes.

“Concluímos que houve ali uma verdadeira tortura. A vítima foi brutalmente violentada sexualmente e muito agredida antes de morrer. No fim, depois de satisfeitos, ela foi morta por esganadura”, explicou o delegado.

“Após praticarem os crimes, conforme testemunhas, os denunciados fugiram levando os objetos pessoais da vítima para vendê-los entre os usuários de drogas, na Avenida Manaain, bairro Jardim Panorama, em Ipatinga”, acrescenta o MP.

No documento encaminhado à Justiça, o Ministério Público pede que os dois homens sejam condenados por feminicídio quadruplamente qualificado por estupro. Além disso, o MPMG requer a condenação por furto qualificado e por rufianismo – crime que consiste em tirar proveito de prostituição alheia.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

CONTINUE LENDO SOBRE