VIOLÊNCIA CONTRA A CRIANÇA

PM e esposa são presos por estuprar filhos e divulgar imagens na web

A polícia suspeita de que as práticas criminosas ocorram desde 2021. Também foi presa uma terceira pessoa envolvida no caso

Casos de violência contra crianças e adolescentes podem ser denunciados pelo Disque 100. Também é possível fazer denúncias pelo aplicativo Direitos Humanos Brasil -  (crédito: Paulo de Araujo/CB/D.A Press)
Casos de violência contra crianças e adolescentes podem ser denunciados pelo Disque 100. Também é possível fazer denúncias pelo aplicativo Direitos Humanos Brasil - (crédito: Paulo de Araujo/CB/D.A Press)
postado em 20/01/2024 17:12

Um policial militar e a esposa foram presos por suspeita de violentar sexualmente dos três filhos, em São Francisco do Guaporé (RO). A prisão foi feita no âmbito da operação Inocência perdida, da Polícia Civil de Rondônia, que descobriu, também, que o casal gravava e divulgava as imagens dos abusos.

O policial militar abusava da filha de 2 anos, enquanto a mulher estuprava os filhos de nove e 12 anos.

Os investigadores acreditam, ainda, que o casal colocava as imagens dos abusos para as crianças mais velhas assistirem.

A polícia suspeita de que as práticas criminosas ocorram desde 2021. Também foi presa uma terceira pessoa envolvida no caso.

Ela estaria em um trisal com o casal e levava uma criança de 10 anos nos encontros para o policial estruprar. A mulher foi presa por armazenamento de pornografia infantil.

Três armas de fogo e munições foram apreendidas. Durante depoimento, o policial confessou a prática criminosa e disse que cometia o crime por ter sido estuprado na infância.

De acordo com a polícica, “as crianças e o adolescente foram entregues ao Conselho Tutelar, que acompanhou as diligências e se encarregou de colocá-las em um lar substituto”.

Gostou da matéria? Escolha como acompanhar as principais notícias do Correio:
Ícone do whatsapp
Ícone do telegram

Dê a sua opinião! O Correio tem um espaço na edição impressa para publicar a opinião dos leitores pelo e-mail sredat.df@dabr.com.br

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação
-->