RIO GRANDE DO NORTE

Polícia encontra munição de fuzil em esconderijo de fugitivos de Mossoró

O buraco em que a munição estava também foi usado pelos foragidos para se esconderem dos drones que detectam calor humano

Além de guardar a munição de fuzil, o buraco também foi usado pelos foragidos para se esconderem dos drones que detectam calor humano -  (crédito: Reprodução/TV Globo)
Além de guardar a munição de fuzil, o buraco também foi usado pelos foragidos para se esconderem dos drones que detectam calor humano - (crédito: Reprodução/TV Globo)
postado em 02/03/2024 16:34

Investigadores encontraram munição de fuzil dentro de um buraco cavado pelo dois criminosos que fugiram da Penitenciária Federal de Mossoró. Rogério da Silva Mendonça e Deibson Cabral Nascimento foram vistos pela última vez na quinta-feira (28/2). O buraco também foi usado pelos foragidos para se esconderem dos drones que detectam calor humano. As informações são do jornal Folha de S.Paulo.

Segundo o Ministério da Justiça e Segurança Pública, cerca de 500 policiais estão envolvidos nas buscas pelos foragidos. Esses agentes são da Polícia Federal, Polícia Rodoviária Federal e polícias estaduais, e atuam durante dia e noite. A Força Nacional também está envolvida. O trabalho de recaptura dos criminosos é considerado complexo por estar sendo feito em terreno formado por matas, zonas rurais e com grutas.

Os agentes que participam das buscas utilizam drones, aeronaves e equipamentos que medem a temperatura corporal. Em Mossoró, o ministro Ricardo Lewandowski afirmou que nenhuma hipótese foi descartada, mas que só a conclusão da investigação poderá indicar se houve conivência de agentes penitenciários.

 

Deibson Cabral Nascimento e Rogério da Silva Mendonça fugiram da Penitenciária Federal de Mossoró na quarta-feira de cinzas
Deibson e Rogério fugiram da Penitenciária Federal (foto: Reprodução)

A Polícia Federal anunciou recompensas para os dois fugitivos, de R$ 15 mil para qualquer pessoa que tenha informações sobre Rogério da Silva Mendonça, conhecido como Querubin, e mais R$ 15 mil para denúncias que ajudem a captura de Deibson Cabral Nascimento, conhecido como Tatu ou Desinho.

Gostou da matéria? Escolha como acompanhar as principais notícias do Correio:
Ícone do whatsapp
Ícone do telegram

Dê a sua opinião! O Correio tem um espaço na edição impressa para publicar a opinião dos leitores pelo e-mail sredat.df@dabr.com.br

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação