Vacinação

Covid-19: DF recebe 11 mil doses de CoronaVac e prevê vacinar mais de 23 mil pessoas

Com as novas doses do imunizante, a Secretaria de Saúde pretende ampliar a vacinação contra a covid-19. A previsão é alcançar mais de 23 mil pessoas

Samara Schwingel
Ana Maria Silva
postado em 26/02/2021 08:30 / atualizado em 26/02/2021 08:42
 (crédito: Claudio Cruz/AFP)
(crédito: Claudio Cruz/AFP)

A Secretaria de Saúde do Distrito Federal (SES-DF) recebeu mais 11 mil doses da CoronaVac, na noite de quarta-feira (24/2). O novo lote se soma às 25,5 mil doses da AstraZeneca, enviadas ao DF na manhã do mesmo dia. Agora, os gestores traçam a previsão de imunizar mais de 23 mil pessoas. Os idosos de 76 a 78 anos começam a ser vacinados a partir das 8h desta sexta-feira (26/2)

A entrega de vacinas para o DF atrasou e bem menor que esperada. A previsão inicial era de que a remessa de unidades da CoronaVac chegasse ao DF em 23 de fevereiro e permitisse a imunização de idosos a partir dos 75 anos. A demora afetou o atendimento em diversos postos. Na quinta-feira (25/2), por exemplo, pontos na Estrutural, em Santa Maria, bem como em Taguatinga não tinham mais doses, e muitas pessoas voltaram para casa sem vacinar.

Medidas restritivas

Com o aumento de 60,7% na média móvel de casos de covid-19 em relação à semana anterior, Ibaneis Rocha (MDB) decretou lockdown no DF. A partir de segunda-feira (1º/3), todas as atividades econômicas ficarão suspensas das 20h às 5h, à exceção de serviços essenciais. Ao longo do dia, o chefe do Executivo chegou a anunciar o retorno presencial das aulas na rede pública do DF. Assim como negou a possibilidade de medidas drásticas de restrições. O anúncio do fechamento do DF só ocorreu à noite. 

O lockdown afetará, principalmente, lojas, restaurantes e bares. Ao Correio, o chefe do Buriti explicou que a ocupação dos leitos em unidades de terapia intensiva (UTIs) para pacientes com covid-19 na rede pública de saúde chegou a um nível preocupante, superior a 90% e, portanto, próximo de um colapso. A decisão saiu depois de Ibaneis passar os últimos dias tentando evitar a medida, que atinge fortemente a atividade econômica do DF. “As UTIs me fizeram mudar de ideia”, disse.

Agendamento obrigatório

No Distrito Federal, tornou-se obrigatório marcar data, hora e local para a imunização contra a covid-19, seja para a primeira dose ou para o reforço. Com o direcionamento da população ao site exclusivo para agendamento (leia Tira-dúvidas), o público pode escolher a modalidade de preferência — salas de vacina ou postos drive-thru — e imprimir o comprovante com os dados pessoais. Desde as 16h de quinta-feira (25/2), o sistema — que antes estava disponível apenas para marcação da segunda aplicação — ficou aberto para todas as pessoas que fazem parte do público prioritário.

Nas primeiras horas, mais de 2 mil pessoas fizeram agendamento. No entanto, entre a tarde e a noite de quinta-feira (25/2), o site ficou fora do ar por cerca de duas horas e apresentou instabilidades ao longo do dia. A Secretaria de Saúde do Distrito Federal (SES-DF) informou que isso ocorreu devido à grande demanda de acessos simultâneos. “A área técnica da pasta tem realizado ajustes no sistema e monitorado a situação”, afirmou a pasta, em nota.

 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

CONTINUE LENDO SOBRE