Investigação

Suspeito de chacina em Ceilândia, Lázaro troca tiros com caseiro e fica ferido

Segundo informações da Polícia Militar, o criminoso trocou tiros com um caseiro em região de chácaras de Edilândia (GO) e ficou ferido

Darcianne Diogo
Ana Isabel Mansur
Pedro Marra
Talita de Souza
postado em 14/06/2021 20:55 / atualizado em 14/06/2021 22:34
 (crédito: Polícia Civil/Divulgação)
(crédito: Polícia Civil/Divulgação)

A Polícia Militar do Distrito Federal (PMDF) fez um novo cerco ao suspeito de cometer a chacina que aterrorizou o DF, Lázaro Barbosa de Sousa, 33 anos. Segundo informações da corporação, o criminoso trocou tiros com um caseiro de chácara localizada em Edilândia (GO). Aos policiais, a vítima disse que Lázaro ficou ferido.

Segundo o porta-voz da PMDF, major Michello Bueno, a área está cercada. "Ele conseguiu fugir. A gente não sabe se ele está baleado. Acreditamos que vamos pegá-lo em breve", afirmou. Os policiais fizeram um cerco ao criminoso e monitoram toda a região de chácaras da cidade.

Buscas e perseguições

Lázaro é procurado pela polícia desde quarta-feira (9/6), quando assassinou a tiros e facadas a família Vidal Marques - o pai, Cláudio, 48, e os filhos Carlos Eduardo, 21, e Gustavo, 15, e levou a mãe, Cleonice. De acordo com o cunhado, a mulher telefonou, por volta das 2h, para pedir ajuda pois um homem estava arrombando a porta da casa da família. A mulher foi encontrada três dias depois, em um córrego, sem vida, nua e com os cabelos cortados.

No fim da tarde do dia dos assassinatos, em 9 de junho, a PCDF divulgou a foto de Lázaro Barbosa de Souza e o confirmou como suspeito de cometer os crimes em Ceilândia Norte. A descoberta foi feita a partir de impressões digitais encontradas na chácara. Com a identidade, a ficha de Lázaro foi levantada, com um histórico recente de agressões.

No dia seguinte, Lázaro roubou uma chácara nas proximidades da casa da família Vidal Marques. Ele rendeu o caseiro, o dono da chácara e a filha dele, que teve de fazer o almoço enquanto ele assistia ao jornal na TV. Depois disso, invadiu novamente uma residência, no Incra 9. No local, fez três pessoas reféns e obrigou duas delas a fumarem maconha.

Na madrugada de sexta-feira, as buscas por Lázaro e Cleonice ultrapassaram a fronteira do Distrito Federal. O suspeito invadiu uma chácara em Ceilândia por volta das 20h, fez o caseiro de refém e roubou um veículo, um Palio branco, que usou para se dirigir até Cocalzinho de Goiás (GO), às 3h30. Lá, na BR-070, Lázaro incendiou o carro. Durante toda sexta-feira, cerca de 80 policiais civis e militares do DF e Entorno, auditores fiscais e rodoviários federais estavam no município goiano para encontrar Lázaro.

Ainda na cidade, Lázaro invadiu outra chácara, fez um caseiro de refém e o obrigou a cozinhar no sábado (12/6). Depois, invadiu outra residência e baleou três homens, que ficaram em estado grave. No fim da noite, ateou fogo em outra chácara. Foi neste mesmo dia, na tarde de sábado (12/6), que Cleonice foi encontrada, sem vida, por familiares e vizinhos em um córrego próximo ao local em que morava.

No domingo (13/6), Lázaro quase foi preso na rodovia BR-070, próximo à cidade de Edilândia (GO), a 82km de Brasília. O foragido furtou um carro em uma chácara de Cocalzinho (GO) e abandonou o veículo, um Corsa vermelho, após avistar um ponto de bloqueio montado pela polícia.

Mais de 200 policiais e 50 viaturas do Distrito Federal e de Goiás se uniram na operação e montaram uma base no trevo de Cocalzinho. Fazem parte do grupo unidades da Polícia Civil do Distrito Federal (PCDF), da Polícia Militar (PMDF), da Polícia Rodoviária Federal (PRF) e da Polícia Federal (PF).

  • Polícia divulgou a foto de Lázaro Barbosa de Souza, que teria cometido triplo homicídio - (crédito: PCDF/Divulgação)
    Polícia divulgou a foto de Lázaro Barbosa de Souza, que teria cometido triplo homicídio - (crédito: PCDF/Divulgação) Foto: Polícia Civil/Divulgação
  • Policiais fazem buscas por Lázaro Barbosa em Goiás. Homem é acusado de cometer chacina e matar família no DF, em Ceilândia
    Policiais fazem buscas por Lázaro Barbosa em Goiás. Homem é acusado de cometer chacina e matar família no DF, em Ceilândia Foto: Ed Alves/CB/D.A. Press
  • Policiais fazem buscas por Lázaro Barbosa em Goiás. Homem é acusado de cometer chacina e matar família no DF, em Ceilândia
    Policiais fazem buscas por Lázaro Barbosa em Goiás. Homem é acusado de cometer chacina e matar família no DF, em Ceilândia Foto: Ed Alves/CB/D.A. Press
  • Policiais fazem buscas por Lázaro Barbosa em Goiás. Homem é acusado de cometer chacina e matar família no DF, em Ceilândia
    Policiais fazem buscas por Lázaro Barbosa em Goiás. Homem é acusado de cometer chacina e matar família no DF, em Ceilândia Foto: Ed Alves/CB/D.A. Press
  • Polícia monitora local em que Lázaro Barbosa matou três membros da família Vidal e sequestrou Cleonice, encontrado morta no último sábado
    Polícia monitora local em que Lázaro Barbosa matou três membros da família Vidal e sequestrou Cleonice, encontrado morta no último sábado Foto: Marcelo Ferreira/CB/D.A Press
  • Lázaro Barbosa Sousa é acusado de matar quatro pessoas, balear três, invadir chácaras, fazer reféns e atear fogo em uma casa. Polícia procura o criminoso na região de Cocalzinho (GO)
    Lázaro Barbosa Sousa é acusado de matar quatro pessoas, balear três, invadir chácaras, fazer reféns e atear fogo em uma casa. Polícia procura o criminoso na região de Cocalzinho (GO) Foto: Ed Alves/CB/D.A Press
  • Lázaro Barbosa Sousa é acusado de matar quatro pessoas, balear três, invadir chácaras, fazer reféns e atear fogo em uma casa. Polícia procura o criminoso na região de Cocalzinho (GO)
    Lázaro Barbosa Sousa é acusado de matar quatro pessoas, balear três, invadir chácaras, fazer reféns e atear fogo em uma casa. Polícia procura o criminoso na região de Cocalzinho (GO) Foto: Ed Alves/CB/D.A Press
  • Busca a Lázaro
    Busca a Lázaro Foto: Ed Alves/CB/D.A. Press
  • Busca a Lázaro
    Busca a Lázaro Foto: Ed Alves/CB/D.A. Press
Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

CONTINUE LENDO SOBRE