CRIME

Morte de estudante assassinado causa comoção no CED 11 de Ceilândia

Geoffrey Stony Oliveira do Nascimento, 16 anos, sonhava ingressar na Universidade de Brasília (UnB). Ele foi assassinado durante um assalto quando saía da escola

Darcianne Diogo
postado em 22/09/2021 16:50 / atualizado em 22/09/2021 16:51
Segundo as investigações conduzidas pela 19ª Delegacia de Polícia (P Norte), há indícios que a vítima teria reagido ao assalto -  (crédito: Darcianne Diogo/CB/DA Press)
Segundo as investigações conduzidas pela 19ª Delegacia de Polícia (P Norte), há indícios que a vítima teria reagido ao assalto - (crédito: Darcianne Diogo/CB/DA Press)

A comunidade escolar do Centro Educacional 11 de Ceilândia (CED 11) está estarrecida com o assassinato do estudante Geoffrey Stony Oliveira do Nascimento, 16 anos. O adolescente foi vítima de latrocínio (roubo seguido de morte) no final da manhã desta quarta-feira (22/9), quando saía da escola para esperar o pai em uma rua, a cerca de 1km de distância da instituição.

O pai de Geoffrey é servidor da Secretaria de Educação e também trabalha no CED 11 no turno vespertino e noturno, na área administrativa. Ao Correio, o diretor da instituição, Francisco Gadelha, contou que recebeu um áudio do funcionário por volta das 10h50 em desespero. "Ele chorava muito e disse que não poderia ir trabalhar porque o filho tinha sido assassinado. Eu estava de licença paternidade, mas não pensei duas vezes e vim correndo para prestar apoio nesse momento de tanta dor", disse.

Geoffrey saiu da escola por volta das 10h40 e caminhou por cerca de 1km até uma rua onde os pais têm uma casa, na QNP 5. Era costume todos os dias, depois da aula, o estudante aguardar o pai buscá-lo na calçada para levá-lo para a casa, na Guariroba. No momento em que aguardava o genitor, dois suspeitos armados em uma bicicleta abordaram o menor e exigiram o celular. Segundo as investigações conduzidas pela 19ª Delegacia de Polícia (P Norte), há indícios que a vítima teria reagido ao assalto. A dupla atirou contra o peito do estudante e fugiu em seguida. O pai de Geoffrey chegou menos de dois minutos depois do crime e, desesperado, levou o filho até o Hospital Regional de Ceilândia (HRC), onde veio a óbito.

Participativo

Aos 16 anos, Geoffrey era apaixonado por matemática e sonhava ingressar na Universidade de Brasília (UnB). "Sempre foi muito participativo nas aulas. Tinha gosto e interesse em aprender e era uma pessoa tranquila, do bem, que não media esforços para dar o melhor de si", destacou o diretor.

Nesta quinta-feira (23/9), a escola fechará as portas em luto pela morte do adolescente. "Não teremos aulas. Estamos sofrendo com toda essa situação. Perdemos um aluno brilhante, de garra e foco", finalizou o gestor.

Até a última atualização dessa reportagem, ninguém havia sido preso. "Estamos em diligências para capturá-los o mais rápido possível", frisou o delegado-adjunto da 19ª DP, Thiago Peralva.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

CONTINUE LENDO SOBRE