MOBILIDADE

Quase 90% dos ônibus semiurbanos interestaduais do país circulam no DF

Pesquisa da Companhia de Planejamento do Distrito Federal (Codeplan) aponta que, das 473 linhas de transporte semiurbano interestadual do país, 425 operam entre o DF e cidades do Entorno

Cibele Moreira
postado em 29/09/2021 19:22 / atualizado em 29/09/2021 19:23
 (crédito: Minervino Júnior/CB/D.A Press)
(crédito: Minervino Júnior/CB/D.A Press)

Com o objetivo de entender melhor o funcionamento do transporte interestadual semiurbano que circula entre o Distrito Federal e as cidades do Entorno, a Companhia de Planejamento do DF (Codeplan) elaborou um estudo mais detalhes sobre esse serviço. Os coletivos considerados no estudo têm a característica de circular em regiões urbanas e ultrapassam perímetros estaduais. 

O levantamento revela que, das 473 linhas de ônibus semiurbanos interestaduais existentes no país, 425 operam na chamada Área Metropolitana de Brasília (AMB) — composta por 12 municípios. Esse total é equivalente a 89,8% do número de coletivos autorizados pela Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT) a circular no país.

O resultado da pesquisa saiu nesta quarta-feira (29/9), por meio de uma reunião virtual. Participaram da apresentação o secretário de Transporte e Mobilidade do DF, Valter Casimiro, além do secretário executivo da Casa Civil distrital, Cristiano Lopes da Cunha.

Os representantes do Executivo local acreditam que o levantamento da Codeplan auxiliará o trabalho do Governo do Distrito Federal (GDF) na gestão compartilhada do transporte coletivo semiurbano que atende os municípios do Entorno.

"Um dos maiores desafios enfrentados por qualquer governo nos próximos 50 anos é a mobilidade urbana. Com as cidades crescendo, temos de buscar aperfeiçoamentos no sistema de transporte. E nada melhor que o estudo da Codeplan para diagnosticar nosso estudo de caso nessa cooperação com o transporte do Entorno", pontuou Cristiano Cunha.

Gestão compartilhada

Em 8 de janeiro de 2021, a Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT) delegou ao GDF a competência para gerir e fiscalizar a prestação dos serviços de transporte rodoviário interestadual semiurbano de passageiros entre o Distrito Federal e municípios goianos adjacentes. A transferência oficial da gestão ocorreu em 8 de julho, e a vigência do termo de cooperação é de 15 anos. 

"Confesso que, quando a ANTT convidou a Secretaria de Transporte (e Mobilidade) para fazer parte dessa missão com a gestão compartilhada, tive um certo calafrio. Sabemos que é um desafio muito grande, (pois) é um sistema que precisa de várias melhorias", destacou Valter Casimiro. 

Desde que o GDF assumiu a gestão do transporte semiurbano, a pasta Transporte e Mobilidade ficou responsável por administrar 396 linhas de sete operadoras. Elas atendem 11 cidades de Goiás. O próximo passo, segundo o secretário, é integrar os dois sistemas urbanos do DF e do Entorno.

"Estudamos implementar (nesse sistema) algumas melhorias feitas aqui no DF, como o sistema de bilhetagem eletrônica, para facilitar a vida do usuário com um único cartão. A questão de ter sistemas de monitoramento via GPS e câmeras para poder aumentar a segurança também tem sido pensada", ressaltou Valter, que pretende estabelecer prazo máximo de validade para os ônibus em circulação.

Os números da Codeplan mostram que, das 425 linhas de transporte semiurbano que atuam na AMB, 342 estão sob regime de autorização especial que permite a circulação de veículos em situação precária. Outros 16 circulam devido a autorização judicial, e 67 linhas entram na cota de um contrato de permissão de 2015 da empresa Taguatur.

Passageiros

A Companhia de Planejamento do DF analisou, ainda, o comportamento de quem usa o transporte coletivo. Cerca de 36,1% da população dos municípios do Entorno se deslocam para o Distrito Federal para trabalhar. O Plano Piloto é o principal destino delas.

Entre os modais de transporte usados, o ônibus aparece com o maior fluxo de passageiros, e com procura maior pelas mulheres. Na análise sobre a circulação de veículos individuais entre DF e Entorno, os homens predominam entre os motoristas. 

Cerca de 25% da população de cidades vizinhas vem ao DF para estudar. O horário de maior fluxo de pessoas rumo à capital federal é das 4h às 7h. Já os períodos de retorno com mais passageiros ocorrem das 14h05 às 17h e das 17h02 às 20h.

Em agosto, o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) divulgou que a Região Integrada de Desenvolvimento do Distrito Federal e Entorno (Ride) é a quarta mais populosa do país, com 4,75 milhões de habitantes.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

CONTINUE LENDO SOBRE