CARTÃO-POSTAL

Com programação especial pela internet, templo da LBV completa 32 anos

Considerado uma das Sete Maravilhas de Brasília, espaço consta no roteiro de passeios daqueles que procuram paz e tranquilidade na capital federal. Nesta quinta-feira (21/10), Legião da Boa Vontade terá programação das 7h às 22h para celebração da data

Renata Nagashima
postado em 21/10/2021 06:00
Templo da Legião da Boa Vontade (LBV) foi inaugurado em 1989 -  (crédito: TBV/Divulgação)
Templo da Legião da Boa Vontade (LBV) foi inaugurado em 1989 - (crédito: TBV/Divulgação)

Eleito uma das Sete Maravilhas de Brasília em 2008, o templo da Legião da Boa Vontade (LBV) completa 32 anos nesta quinta-feira (21/10). Há mais de três décadas, o “Oásis da Paz” cumpre o papel de acolher a todos que, frente aos desafios da vida, precisam de um momento de reflexão. O espaço místico, que conta com uma estrutura em formato de pirâmide, destina-se à espiritualidade ecumênica. Desde a inauguração, em 1989, tem as portas abertas dia e noite para atender peregrinos e visitantes em busca de um local para orar ou meditar livremente, de acordo com a crença de cada um.

“Isso é o que torna o monumento um lugar especial e que, cada vez mais, tem atraído gente de várias partes do mundo. Quando Paiva Netto inaugurou o templo, disse que um dos princípios seria receber a todos e que precisávamos ficar abertos por 24 horas, porque a dor não tem hora para bater à porta. O Templo da Boa Vontade é o agasalho do sentimento de cada peregrino”, destaca Paulo Medeiros, responsável pela administração do espaço.

  • 17/04/2019.  Credito: Breno Fortes. Foto aerea feita de drone da LBV TBV durante a noite.
    2019-04-17. Credito: Breno Fortes. Foto aerea feita de drone da LBV TBV durante a noite. Breno Fortes. Foto aerea feita de drone da LBV TBV durante a noite.
  • 2021. Crédito: Rayan Ribeiro/SeturDF. Brasil. Brasília - DF. Cidades.  Templo da Boa Vontade - LBV.
    2021. Crédito: Rayan Ribeiro/SeturDF. Brasil. Brasília - DF. Cidades. Templo da Boa Vontade - LBV. Rayan Ribeiro/SeturDF

A pirâmide virou cartão-postal da capital do país e está no roteiro de quem visita Brasília. O sentimento de paz e tranquilidade é sempre mencionado por quem frequenta o local, como foi o caso de Sônia Jean Araújo Pereira, 52 anos, e da filha dela Vitória Luiza, 14. Nesta semana, as duas tiveram uma experiência nova no ambiente. “Eu conhecia, mas, hoje (quarta-feira), foi a primeira vez em que viemos para fazer a caminhada e a prece. Gostei muito. Observei o cristal sagrado e senti uma paz muito grande me invadir enquanto fazia a caminhada. Eu me senti leve. Não sei explicar”, diz Sônia.

Quando ela e a filha passavam pela região, a adolescente se interessou pela pirâmide, na 915 Sul, e pediu para conhecer. “Achei um lugar maravilhoso, que reúne todas as religiões. Tem muita coisa boa aqui. Você vem, medita, ora. As energias negativas vão embora e dão lugar às coisas positivas. É um lugar de paz”, elogia Vitória Luiza. Moradoras do Riacho Fundo 1, as duas têm data marcada para voltar: “Será na semana que vem. E, sempre que possível, estaremos aqui”, acrescenta.

  • Sônia esteve no templo ontem, com a filha Vitória Luiza
    Sônia esteve no templo ontem, com a filha Vitória Luiza Renata Nagashima/CB/D.A Press
  • Meire e Maria Clara: visitantes do TBV há 13 anos
    Meire e Maria Clara: visitantes do TBV há 13 anos Renata Nagashima/CB/D.A Press

Experiência antiga

A sede do templo, em formato de pirâmide, foi construída com referências ao número sete, considerado símbolo da perfeição. No topo, há o cristal sagrado, uma peça de 21kg que representa uma forma de purificar o ambiente e favorecer a cromoterapia — a cura pelas cores. O item foi doado ao Templo da Paz após ser encontrado por um garimpeiro, em 1989, em Cristalina (GO).

O piso do centro da pirâmide, abaixo do cristal sagrado, forma um desenho com formato espiral feito em granito de duas cores. O visitante começa a percorrer o caminho de pedras escuras, que gira no sentido anti-horário e representa a busca do ser humano por um ponto de equilíbrio. No centro do percurso, uma placa de bronze simboliza a descoberta da luz. O retorno pelas pedras claras, em sentido horário, faz referência a uma trilha iluminada pelos valores morais e espirituais conquistados pelos indivíduos. O trajeto termina em frente ao “trono e altar de Deus”, onde o público costuma fazer um pedido ou agradecimento e beber da água fluidificada.

Há 20 anos, Meire Piloto, 54, frequenta o Templo da Boa Vontade (TBV). Assim que chegou a Brasília e soube que a pirâmide ficava aberta dia e noite, passou a visitá-la para reabastecer as energias. “Quando morava perto (do cartão-postal), costumava vir uma vez por semana. Eu me sinto em paz quando venho. Toda vez, saio melhor do que entrei”, afirma a moradora do Jardim Botânico.

As visitas diminuíram, mas a filha dela, Maria Clara Piloto, 13, sempre cobra um novo passeio quando as duas ficam muito tempo sem ir ao ponto turístico. Desde que estava na barriga da mãe, a adolescente frequenta o TBV. A jovem diz que busca equilíbrio para a vida espiritual e que se sente acolhida no templo. “Venho quando preciso descansar a mente, conectar-me comigo mesma. É um lugar que amo e onde me sinto bem. Não é em todo lugar que temos essa paz. A energia é inexplicável”, completa Maria Clara.

Todos os anos, milhares de peregrinos se reúnem neste mês, em Brasília, para participar das celebrações de aniversário do TBV. No entanto, em 2021, assim como no ano anterior, as comemorações serão em ambiente virtual. É possível acompanhar a programação nesta quinta-feira (21/10), das 7h às 22h, pelo Facebook, Instagram, YouTube e pelo site da LBV (boavontade.com).

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

CONTINUE LENDO SOBRE