Maus-tratos

Cães que sofriam maus-tratos são resgatados em Vicente Pires

Os animais estavam na Colônia Agrícola Samambaia sob a posse de um homem de 42 anos, que foi preso em flagrante por maus-tratos

Carlos Silva*
postado em 12/11/2021 20:05 / atualizado em 13/11/2021 10:44
 (crédito: Arquivo pessoal/divulgação)
(crédito: Arquivo pessoal/divulgação)

Três cães que sofriam maus-tratos foram resgatados nesta sexta (12/11) por policiais da 38ª Delegacia de Polícia (DP), em Vicente Pires. Os animais estavam na Colônia Agrícola Samambaia sob a posse de um homem de 42 anos, que foi preso em flagrante por maus-tratos, previsto no Art. 32 da Lei de Crimes Ambientais, com pena de dois a cinco anos, além de multa e a perda da guarda do animal.

De acordo com os três cães da raça pequinês estavam na parte da frente de uma quitinete, em uma espécie de varanda. O lugar estava repleto de fezes e moscas, com pouca ração para os cachorros e água suja em uma das vasilhas. Um dos animais estava preso por uma corrente de cerca de 2 metros.

Cães que sofriam maus-tratos são resgatados em Vicente Pires
Cães que sofriam maus-tratos são resgatados em Vicente Pires (foto: Arquivo pessoal/divulgação)

A vice-presidente da Comissão de Defesa dos Direitos dos Animais (seccional de Taguatinga) Ana Paula de Vasconcelos acompanhou o resgate e levou os cães ao veterinário logo após. Eles foram encaminhados ao Hospital Veterinário Dr. Antônio Clemenceau, onde, a princípio, foi diagnosticado nos animais problemas urinários, uma das cadelas apresentou uma hérnia e vai precisar de cirurgia, outro cão não estava com a visão prejudicada. Porém, segundo Ana Paula, os exames não puderam prosseguir, devido à condição física fragilizada em que os animais se encontram. “Como a situação física deles estava de difícil manipulação, porque estavam com muitas fezes no pelo e debilitados, optamos por dar banho e fazer os exames complementares no dia seguinte (sábado)”, relatou.

Alerta

A vice-presidente da Comissão de Defesa dos Direitos dos Animais também fez um alerta à população, destacando a importância do cuidados com animais adotados. “A população precisa entender que ninguém é obrigado a ter um animal, mas, a partir do momento em que opta por ter um animal, você tem que dar a ele as mínimas condições de dignidade, salubridade em um ambiente em que ele possa expressar seu comportamento natural. Hoje temos uma legislação rigorosa, então aqueles que maltratam cães e gatos podem ser punidos severamente”, alerta.

Ana Paula ressaltou a gravidade do crime de maus-tratos contra os animais. Ela também destacou a participação da população na denúncia em ocorrências como essa. “É importante frisar que a população está cada vez mais atenta a esse tipo de crime e tem denunciado cada vez mais. O crime de maus-tratos aos animais, em Brasília, hoje, é o terceiro mais denunciado, só perdendo para tráfico de drogas e violência doméstica”, aponta.

Adoção

Após serem resgatados, os cachorros, de cerca de 2 anos de idade, foram rebatizados para Gilberto, Carol e Ester. A vice-presidente da Comissão de Defesa dos Direitos Ana Paula de Vasconcelos, que também atua como advogada no projeto Adoção São Francisco, que atua no acolhimento de animais em situação de maus-tratos e abandono, ressaltou que os animais só podem ser adotados após liberação da Justiça. Porém, é possível se candidatar para oferecer lar temporário aos animais. Os interessados podem entrar em contato com o número (61)98215-4751, de Ana Paula Vasconcelos.

*Estagiário sob a supervisão de José Carlos Vieira


Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

CONTINUE LENDO SOBRE