Inovação

HUB: pesquisa recruta voluntários para testar tratamento contra câncer de pênis

Hospital Universitário de Brasília (HUB) abriu seleção com 33 voluntários de cinco estados do país e do DF para pesquisa

Correio Braziliense
postado em 23/11/2021 16:50 / atualizado em 24/11/2021 11:47
 (crédito:  Ed Alves/CB/D.A Press)
(crédito: Ed Alves/CB/D.A Press)

O Hospital Universitário de Brasília (HUB) abriu seleção, nesta terça-feira (23/11), com 33 voluntários de cinco estado do país e do Distrito Federal para uma pesquisa que vai testar um novo tratamento para o câncer de pênis. São pacientes com diagnóstico com metástase ou em estágio avançado da doença. 

A proposta do estudo é de associar o uso de uma imunoterapia com o tratamento de quimioterapia, o que promete resultados promissores. O medicamento em análise, que é aplicado na veia, será usado para outros tipos de câncer.

“O estudo vai criar um novo padrão de tratamento para o câncer de pênis no mundo, com melhores resultados, redução do tumor e aumento da sobrevida do paciente”, explica o médico oncologista do HUB, Fernando Sabino.

A pesquisa recebeu o nome de Hercules e é realizada pelo Latin American Cooperative Oncology Group (Lacog). Além do HUB, o estudo está sendo realizado em outros oito centros de pesquisa do país, nas seguintes cidades: Rio de Janeiro, São Paulo, Belém, Fortaleza, Jaú (SP), Curitiba e Barretos (SP). 

Para ser voluntário, é preciso ter o diagnóstico de câncer de pênis e atender aos seguintes requisitos:

  • Doença avançada ou metastática, sem exposição prévia a quimioterapia;
  • Progressão da doença após 12 meses do término da quimioterapia adjuvante ou neoadjuvante (antes de um procedimento cirúrgico ou radioterápico definitivo);

Se a pessoa cumpre os critérios citados acima e quer fazer parte da pesquisa, é preciso entrar em contato pelo e-mail pesquisaclinica.hub@ebserh.gov.br ou pelo telefone (61) 2028-5021.

Câncer de pênis

O câncer de pênis é um tumor raro, com maior incidência em homens a partir de 50 anos. Segundo o Instituto Nacional de Câncer (Inca), a doença representa 2% de todos os tipos de câncer que atingem a população masculina. Os principais sintomas são alteração na pele, inchaço e nódulo na região da virilha. Cuidados com a higiene íntima, cirurgia de fimose e prevenção do HPV (sigla em inglês para Papilomavírus Humano) são fatores que podem ajudar a evitar o câncer de pênis.

Quando diagnosticada em estágio inicial, as chances de cura deste tipo de câncer são elevadas, mas há pacientes que demoram para procurar ajuda. O tratamento com quimioterapia não apresentou grandes avanços nas últimas décadas. Por isso, a urgência em buscar um tratamento mais eficaz para pacientes em estágio avançado da doença.

 

Com informações do HUB

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

CONTINUE LENDO SOBRE