CARNAVAL

Galinho de Brasília volta a fazer parte da folia brasiliense neste sábado (10)

O bloco tradicional de 1992 sairá do Setor de Autarquias Sul e tem programação para as crianças

galinho de brasilia -  (crédito: Reprodução redes sociais)
galinho de brasilia - (crédito: Reprodução redes sociais)
postado em 09/02/2024 13:26 / atualizado em 09/02/2024 13:27

O Galinho de Brasília, criado por amigos pernambucanos inspirado no Galo da Madrugada, arrasta milhares de pessoas da capital desde que foi criado, há quase 30 anos. Depois de três anos sem desfilar, dois anos pela pandemia e um por ‘obstáculos jurídicos’, o carnaval tradicional volta ao seu lugar de origem para animar os foliões.

Fundado em 1992, o Galinho de Brasília nasceu quando um grupo de amigos não pôde ir ao Recife aproveitar o carnaval no famoso Galo da Madrugada e resolveu “importar” para Brasília um pouco da festa do bloco recifense.

“Galinho surgiu em 1992 quando houve o conflito da poupança do governo Collor e, sem dinheiro, a gente não conseguia ir até Recife para participar do Galo da Madrugada. Então um dia, na casa do meu pai, nós decidimos fazer uma comemoração nossa. Arrumamos algumas camisetas, uma caixa de som com fita do Alceu Valença e fomos para a folia”, comenta Romildo de Carvalho, presidente e fundador do bloco.

A música fica por conta da Orquestra do Galinho sob a regência do maestro Fabiano Medeiros, da Orquestra Popular Marafreboi. A mistura de ritmos, cores vibrantes e alegria são marcas registradas da festa, que atrai pessoas de todas as idades. Pela manhã, a folia fica com as crianças no bloquinho apelidado de ‘Pintinhos’.

Trio elétrico, instrumentos de sopro, passistas, sombrinhas de frevo e fantasias coloridas garantem a festa do Galinho, que busca trazer um pedaço de Pernambuco com a festa do Momo.

O carnaval do Galinho é uma retomada após três anos. Em 2019, a festa foi alterada de local e teve baixa adesão do público. Em 2021 e 2022 a pandemia impediu a festa e, em 2023, de última hora, o bloco foi cancelado. Este ano, o bloco retoma suas raízes com a festa no Setor de Autarquias Sul (SAS) e promete animar todos os participantes.

“É um desafio e uma questão de investir, de acreditar que a gente pode fazer melhor, de residência. O território é algo que a gente defende com muito afinco, e que Brasília precisa aprender a valorizar. No Rio de Janeiro, a banda de Ipanema não vai deixar de sair em Ipanema ou então a bola preta não vai deixar sair em Botafogo, assim como o galo da madrugada que hoje é o maior bloco do mundo, não vai deixar de sair do bairro de São José. Esses lugares têm origem e tradição, não dá para mudar quando quer, nós temos que valorizar nossa história aqui e estamos lutando por isso”, conclui Romildo.

Para as crianças

O “Pintinho de Brasília” é uma versão do Galinho pensado para as crianças que, como seus pais, tios e avós, também adoram participar do carnaval. O bloco é para todas as idades e junta a folia com os ritmos pernambucanos. O “Pintinho de Brasília” sai pela manhã de sábado, das 9h às 12h, também com a participação da Orquestra do Galinho e participação da banda infantil Cantaqui Cantacolá.

Serviço

Galinho de Brasília
Setor de Autarquias Sul (SAS) quadras 03/04, estacionamento da Matriz da Caixa.
Sábado - 10 de fevereiro
Pintinho de Brasília (infantil) – 9h às 12h
Galinho de Brasília – 14h às 22h
Acesso Livre

Gostou da matéria? Escolha como acompanhar as principais notícias do Correio:
Ícone do whatsapp
Ícone do telegram

Dê a sua opinião! O Correio tem um espaço na edição impressa para publicar a opinião dos leitores pelo e-mail sredat.df@dabr.com.br

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação