Tráfico de Drogas

Grupo do DF vendia semente de cannabis para fomentar tráfico no Brasil

O grupo utilizava sites de vendas online e as redes sociais para divulgar a venda se sementes e as entregava por todo o Brasil

Vários estados recebiam as mercadorias e o grupo detinha grandes espaços para o plantio e para a extração das sementes -  (crédito: Divulgação/PCDF)
Vários estados recebiam as mercadorias e o grupo detinha grandes espaços para o plantio e para a extração das sementes - (crédito: Divulgação/PCDF)
postado em 27/02/2024 11:16

A Polícia Civil do Distrito Federal (PCDF) deflagrou na manhã desta terça-feira (27/2) a Operação Breeder, que visa um grupo que fornecia sementes de cannabis para traficantes de drogas de todo o Brasil e lavagem de dinheiro para ocultar a origem do dinheiro recebido pelo tráfico.

De acordo com a PCDF, o grupo era "especialista" na produção de sementes de cannabis de diferentes espécies e utilizavam plataformas de venda online e redes sociais para o contato com compradores. Vários estados recebiam as mercadorias e o grupo detinha grandes espaços para o plantio e para a extração das sementes, algumas delas com alto teor de THC — substância psicoativa — que, segundo a PCDF, tem potencial de causar overdose nos consumidores. 

A polícia encontrou também vários registros em vídeos gravados por membros da organização criminosa que mostravam as plantações ou atualizavam sobre as vendas. Uma das imagens obtidas mostram os valores de compra das sementes, do qual ainda era acrescentado o valor do frete. O grupo, inclusive, chegou a vender uma única semente por R$ 100.

  • Valores cobrados pelas sementes de maconhas
    Valores cobrados pelas sementes de maconhas Divulgação/PCDF

Imagens divulgadas pela Polícia Civil mostram ainda que o grupo distribuía os produtos por todo o Brasil utilizando o serviço dos Correios.

Ao todo, foram cumpridos oito mandados de busca e apreensão na Operação, seis envolvidos foram presos e cinco plantações foram descobertas entre regiões administrativas do DF e na cidade de Governador Valadares, em Minas Gerais.

O grupo também está sendo investigado por crimes ambientais, por causa da disseminação de espécies exóticas, que "podem comprometer o meio ambiente e o agronegócio, além de desrespeitar regras legais que disciplinam a produção e distribuição de sementes", disse a PCDF.

Vale lembrar que desde 2006 existe a Lei que instituiu o Sistema Nacional de Políticas Públicas sobre Drogas - Sisnad (Lei Nº 11.343), que proíbe as drogas vem como o plantio, a cultura, a colheita e a exploração de vegetais e substratos dos quais possam ser extraídas ou produzidas drogas.

Gostou da matéria? Escolha como acompanhar as principais notícias do Correio:
Ícone do whatsapp
Ícone do telegram

Dê a sua opinião! O Correio tem um espaço na edição impressa para publicar a opinião dos leitores pelo e-mail sredat.df@dabr.com.br

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação