JUSTIÇA

Ação de músico brasileiro contra Adele por plágio começa a tramitar

Além do veto à reprodução da música de Adele, o músico Toninho Geraes pede danos morais de R$ 200 mil

Em 2015, a britânica lançou o sucesso
Em 2015, a britânica lançou o sucesso "Million Years Ago". Toninho acusa a existência de plágio da música "Mulheres", composta por ele - (crédito: Reprodução/Facebook e Divulgação)
postado em 21/02/2024 08:15

A ação movida pelo músico brasileiro Toninho Geraes contra a cantora inglesa Adele começou a tramitar na Justiça nesta semana. Em 2015, a britânica lançou o sucesso Million Years Ago, alvo de acusação de plágio de Toninho da música Mulheres, composta por ele. A obra foi interpretada por Martinho da Vila e ganhou versão na voz da cantora Simone.

Além do veto à reprodução da música de Adele, o músico brasileiro pede danos morais de R$ 200 mil e materiais sobre receitas recebidas nos últimos anos. As informações são do colunista Ancelmo Gois, do jornal O Globo.

"As pessoas têm ficado muito a favor do meu grito de proteção. A única coisa que eu tenho na minha vida que eu posso falar que é meu, é minha música. Eu só vendo se eu quiser. Meu patrimônio, o que eu conquistei, eu posso vir a perder, mas o meu repertório, minhas músicas, isso é o meu legado", disse Toninho, em entrevista à BBC em 2021.

Toninho é autor de outros sucessos da música brasileira, como Me Leva, gravada por Agepê, e Verdade, de Zeca Pagodinho. O músico afirma que não sabe como Adele pode ter tido acesso à música Mulheres, mas estranha o fato de o produtor e compositor de Million Years Ago, Greg Kurstin, ser um grande conhecedor da música brasileira. Em uma ocasião, Greg diz que até aprendeu a tocar berimbau.

Ouça as músicas:

Mulheres - Simone

Million years ago - Adele

Gostou da matéria? Escolha como acompanhar as principais notícias do Correio:
Ícone do whatsapp
Ícone do telegram

Dê a sua opinião! O Correio tem um espaço na edição impressa para publicar a opinião dos leitores pelo e-mail sredat.df@dabr.com.br

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação