EXPECTATIVA

Fiocruz solicita novo concurso ao governo e mais vagas em certames

De acordo com a Fiocruz, o pedido foi feito no ano passado

Francisco Artur
postado em 02/04/2024 19:29
Castelo Mourisco, sede da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), em Manguinhos (RJ)
 -  (crédito:  Fernando Frazão/Agência Brasil)
Castelo Mourisco, sede da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), em Manguinhos (RJ) - (crédito: Fernando Frazão/Agência Brasil)
int(8)

A Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) solicitou ao governo a abertura de um novo edital para preencher o quadro de servidores. A informação do pedido foi dada pela coordenadora-geral de gestão de pessoas da fundação, Andréa Carvalho. No momento, há um concurso em andamento com 50 vagas com previsão de preenchimento no próximo ano. 

"Estamos com muita vontade de continuar fazendo concursos na Fiocruz e a gente já fez a solicitação ao governo. Desde de o ano passado, nós pedimos mais vaga", afirmou Andréa, em entrevista ao Estratégia Concurso, nesta segunda-feira (2/4).

Concurso em andamento

No concurso atual — com provas previstas para o dia 28 de abril — a Fiocruz vai selecionar, de acordo com o edital, 300 candidatos. Andréa revelou o interesse em convocar 375 candidatos.

Na avaliação dela, a fundação tem necessidade de recompor o quadro pessoal com celeridade. "Só para ter ideia, a Fiocruz, hoje, tem 4.400 servidores, mas já tivemos 5.300 (funcionários públicos) 10 anos atrás. Ao longo deste período, servidores se aposentaram e não houve recomposição (de novos funcionários)", explicou a coordenadora.

Provas de abril

Os candidatos do certame Fiocruz serão avaliados mediante aplicação de até três etapas. Haverá provas objetivas, em 28 de abril, de caráter eliminatório e classificatório, e avaliações discursivas, também eliminatórias e classificatórias. O certame da Fundação Oswaldo Cruz também cobrará a apresentação do projeto de atuação profissional e defesa de memorial. A última avaliação será a análise de títulos.

As vagas são para atuação nas cidades de Belo Horizonte, Brasília, Campo Grande, Curitiba, Fortaleza, Manaus, Porto Velho, Recife, Rio de Janeiro, Salvador ou Teresina. Para o cargo de pesquisador, na capital mineira, o edital destaca não haver a prova objetiva.

 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação