5G

Faria comemora maioria no TCU e diz que leilão 5G ocorre até outubro

Após sete dos nove ministros terem votado pela aprovação do edital do leilão, porém, houve pedido de vista do ministro Aroldo Cedraz para a próxima semana

Ingrid Soares
postado em 18/08/2021 17:46 / atualizado em 18/08/2021 18:23
 (crédito: Evaristo Sá/AFP - 5/5/21)
(crédito: Evaristo Sá/AFP - 5/5/21)

O ministro das Comunicações, Fábio Faria, comemorou nesta quarta-feira (18/8) a formação de maioria no Tribunal de Contas da União (TCU) durante votação do edital do 5G. Segundo o ministro, o leilão deverá ocorrer, no mais tardar, até o meio de outubro.

"Não quero cravar dia exato, mas após sair o edital do TCU, ele vai para a Anatel e, em torno de 7 dias, publica o leilão; e teremos o leilão em 30 dias. Então, estamos falando aí entre o final de setembro e primeira quinzena de outubro. No mais tardar, em outubro nós teremos a realização do leilão", apontou.

A declaração ocorreu durante entrevista a jornalistas no Palácio do Planalto, após sete dos nove ministros do TCU terem votado pela aprovação do edital do leilão do 5G. Um pedido de vista, no entanto, adiou a decisão para próxima semana. O ministro Aroldo Cedraz fez ressalvas de falhas e ilegalidades no edital. O pedido feito pelo magistrado foi de 60 dias, o que provocaria atraso de 2 meses, mas foi diminuído para sete dias. O governo espera que o leilão ocorra ainda neste ano.

"Foge da questão política"

Fábio destacou que a questão do 5G interessa a todo o país e foge da questão política. "Não é um tema de partido. É um tema que envolve todos os brasileiros", apontou. "Isso extrapolou a disputa politica porque queremos o 5G funcionando no Brasil".

Sobre o pedido de vistas, relatou que foi uma decisão tomada internacorpus. "Só tenho a agradecer aos ministros que viram a importância. O edital já estava há 5 meses no TCU, uma comissão foi com a gente para a Ásia".

o ministro relatou, por fim, que a medida não atrasa o leilão. "A gente não atrasa o nosso leilão. Nós iremos fazer com que o nosso país se torne muito mais competitivo. Essa tecnologia vai fazer com que a gente avance em várias áreas. É um novo Brasil que nós teremos após o 5G", concluiu.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

CONTINUE LENDO SOBRE