Lava-Jato

Depois de ação popular, Moro chama PT de 'partido de comediantes'

Deputados do PT pedem a Justiça reparação de Moro por prejuízos financeiros, políticos e morais ao patrimônio público nacional e à Justiça brasileira

Ana Mendonça - EM
postado em 27/04/2022 18:38
Ex-juiz Sergio Moro -  (crédito: Evaristo Sa/AFP      )
Ex-juiz Sergio Moro - (crédito: Evaristo Sa/AFP )

O ex-juiz Sergio Moro comentou, nesta quarta-feira (27/4), sobre a ação dos deputados Rui Falcão (PT-SP), Erika Kokay (PT-DF), José Guimarães (PT-CE), Natália Bonavides (PT-RN) e Paulo Pimenta (PT-RS), que entraram na Justiça Federal de Brasília contra ele. Os parlamentares pedem reparação por prejuízos financeiros, políticos e morais ao patrimônio público nacional e à Justiça brasileira devido às ações do ex-juiz na Lava-Jato.

Para Moro, o PT não é um partido político e, sim, um “grupo de comediantes".

“A graça da vez é a ação de alguns deputados petistas pedindo indenização por supostos prejuízos da Lava-Jato. Vou lembrar aqui o rastro de lama deixado pelo PT: compra de deputados, refinarias superfaturadas, financiamento de porto em Cuba, petrolão…”, disse Moro em vídeo. 

Ainda segundo Moro, quem acabou com a economia do Brasil foi o PT. “A Lava-Jato impediu que a Petrobras quebrasse… então quem você acha que tem que ressarcir quem? Fique atento. Eles podem voltar com tudo e perseguir todo mundo que foi contra o governo deles. Inclusive, você, que saiu nas ruas”, afirmou.

A ação contra Moro foi elaborada pelos advogados do grupo Prerrogativas e tem por embasamento que os atos praticados por Sergio Moro subverteram a normalidade institucional em seu próprio proveito.

De acordo com a ação, a Operação Lava-Jato deu um prejuízo de R$ 142,6 bilhões à economia brasileira. Estudo elaborado pelo Dieese e pela CUT calcula que 4,4 milhões de empregos foram ceifados nos mais diversos setores.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

CONTINUE LENDO SOBRE