Eleições

Lula: Bolsonaro "só atende os filhos dele e os milicianos"

Ex-presidente discursou nesta quinta (5/5) a moradores da ocupação Vila Soma, em Sumaré (SP), ao lado de Fernando Haddad (PT) e Guilherme Boulos (PSol)

Victor Correia
postado em 05/05/2022 14:39 / atualizado em 05/05/2022 14:40
 (crédito: Reprodução/YouTube)
(crédito: Reprodução/YouTube)

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) afirmou nesta quinta-feira (5/5) que o presidente Jair Bolsonaro (PL) "só atende os filhos dele e os milicianos que cercam ele". O presidenciável discursou a moradores da ocupação Vila Soma, na cidade de Sumaré (PT), ao lado do pré-candidato a governador do estado Fernando Haddad (PT) e do pré-candidato a deputado federal Guilherme Boulos (PSol).

"Ele nunca atendeu prefeito, ele nunca atendeu governadores", disse o ex-presidente. "Ele só atende os filhos dele e os milicianos que cercam ele. E ele fica causando terror, fica mentindo sete vezes por dia através de fake news".

Segundo Lula, Bolsonaro defende que a campanha presidencial "será suja", terá "muita mentira" e "muita agressividade". "Nós vamos fazer uma campanha limpa, não será agressiva. O que vai acontecer nesse país é que nós vamos ser agressivos e votar no 13 em outubro", disse.

O ex-presidente está em viagem a Campinas e a Sumaré, no interior de São Paulo, logo antes do lançamento oficial de sua chapa com o ex-governador de São Paulo Geraldo Alckmin (PSB) no próximo sábado (7). Na tarde de hoje, ainda, ele discursará a estudantes e docentes na Unicamp.

A Vila Soma, onde Lula discursou nesta manhã, é uma ocupação em Sumaré — segunda maior cidade na região metropolitana de Campinas. Ela teve início em 2012 e passa por processo de regularização para ganhar status de bairro da cidade. Cerca de 10 mil pessoas vivem no local.

"São Paulo tem de experimentar o PT governando esse estado"

Em seu discurso, Lula apresentou Fernando Haddad como pré-candidato ao Governo de São Paulo, e também selou seu apoio a Guilherme Boulos, que concorre à Câmara. "Eu quero falar para vocês da necessidade que São Paulo tem de experimentar o PT governando esse estado", disse o ex-presidente.

O petista ainda acenou a Jilmar Tatto, coordenador da comunicação do partido. "Ele é presidente do sistema de comunicação do PT. Quando vocês entrarem na internet, entrem na TV PT. O Jilmar é o responsável pela programação da TV PT", pediu. 

Haddad também falou aos presentes sobre os governos anteriores do PT, defendendo que, à época, o país conseguia pensar desde o Bolsa Família até a entrada na universidade. "E a gente só conseguiu isso porque a gente tinha um presidente que veio do povo, que sabe o que é passar fome, que sabe o que é o desemprego. Só o presidente Lula que vai conseguir virar essa triste página que esse Bolsonaro está escrevendo na história do Brasil", discursou.

Já Boulos — que era pré-candidato ao governo do estado, mas deixou o pleito para apoiar Haddad — afirmou que as políticas de habitação acabaram no Brasil após 2016, e reforçou seu apoio ao ex-prefeito da capital paulista.

"A partir do ano que vem, a gente que se prepare aqui, porque vai retornar política de habitação, de urbanização, vai ter asfalto e tudo o que esse povo precisa. Porque com muita luta, elegendo o nosso time, nós vamos recuperar as políticas públicas no Brasil", disse Guilherme Boulos.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

CONTINUE LENDO SOBRE