JUDICIÁRIO

Toffoli suspende novo júri do caso da Boate Kiss até julgamento de recurso

A boate contava com apenas uma saída de emergência. Entre as vítimas, a maioria eram jovens universitários, na faixa de 18 a 25 anos

Na madrugada do dia 27 de janeiro de 2013, um incêndio atingiu a boate Kiss, em Santa Maria, cidade universitária do interior do Rio Grande do Sul, deixando 242 mortos e 636 sobreviventes -  (crédito: Tomaz Silva/Agência Brasil)
Na madrugada do dia 27 de janeiro de 2013, um incêndio atingiu a boate Kiss, em Santa Maria, cidade universitária do interior do Rio Grande do Sul, deixando 242 mortos e 636 sobreviventes - (crédito: Tomaz Silva/Agência Brasil)
postado em 09/02/2024 22:02

O ministro Dias Toffoli, do Supremo Tribunal Federal (STF), suspendeu o júri da Boate Kiss, previsto para o próximo dia 26, em Porto Alegre. A decisão desta sexta-feira (9/2) é válida até o julgamento de um recurso que está na Corte.

"Com essas considerações, defiro o pedido de efeito suspensivo ao recurso extraordinário formalizado pelo Ministério Público do Estado do Rio Grande do Sul, determinando, por consequência, a suspensão da
sessão de julgamento do Tribunal do Júri designada para o dia 26/02/2024 até apreciação por esta Corte dos recursos extraordinários interpostos".

"Por fim, a realização da sessão do Júri designada para ocorrer no próximo dia 26/2/2024 pode conduzir a resultado diverso do primeiro julgamento, causando tumulto processual, não se podendo ainda, por
razões óbvias, antever o desfecho do recurso extraordinário. Esse cenário autoriza concluir pela possibilidade de virem a ser proferidas decisões em sentidos diametralmente opostos, tornando o processo ainda mais demorado, traumático e oneroso, em razão de eventuais incidentes", apontou Toffoli.

O júri da Boate Kiss foi anulado pelo Tribunal de Justiça do Rio Grande do Sul (TJ-RS), em agosto de 2022. Em setembro, o Superior Tribunal de Justiça (STJ) manteve a anulação.

Na madrugada do dia 27 de janeiro de 2013, um incêndio atingiu a boate Kiss, em Santa Maria, cidade universitária e do interior do Rio Grande do Sul, deixando 242 mortos e 636 sobreviventes.

Durante um show da banda Gurizada Fandangueira naquela noite, um artefato pirotécnico provocou um incêndio, iniciado na espuma do teto. O local contava com apenas uma saída de emergência. Entre as vítimas que tiveram o corpo queimado, foram pisoteados e morreram por asfixia no local, a maioria eram jovens universitários, na faixa de 18 a 25 anos.

 

Gostou da matéria? Escolha como acompanhar as principais notícias do Correio:
Ícone do whatsapp
Ícone do telegram

Dê a sua opinião! O Correio tem um espaço na edição impressa para publicar a opinião dos leitores pelo e-mail sredat.df@dabr.com.br

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação