Publicidade

Correio Braziliense

Primeiro hospital de campanha da União será inaugurado após 44 dias pronto

Imbróglio relativo ao repasse da gestão do governo federal ao de Goiás atrasou entrega de unidade que irá atender pacientes com covid-19. Previsão era que estaria funcionando em 30 dias - ou seja, no dia 7 do mês passado


postado em 02/06/2020 22:53

(foto: Minervino Júnior/CB/D.A Press)
(foto: Minervino Júnior/CB/D.A Press)
O primeiro hospital de campanha da União para atender pacientes com covid-19, em Águas Lindas (GO), será inaugurado na próxima sexta-feira (5) com 29 dias de atraso e depois de 44 dias pronto. A estrutura foi finalizada no dia 22 de abril, segundo o Ministério da Infraestrutura, mas um imbróglio relativo ao repasse da gestão pelo governo federal ao governo de Goiás atrasou todo o processo. 

A previsão inicial era de que seria construído em 15 dias e seriam necessários mais 15 para colocar a unidade em funcionamento. No dia 1º de maio, a Secretaria de Estado da Saúde de Goiás (SES-GO) informou que já estava apenas aguardando a transferência, e que só depois disso poderia começar a atuar no local. 

O prazo de 15 dias estimado pelo governo estadual contabilizava uma semana para a contratação da Organização Social (OS) para gerir o hospital e outra semana para a entidade contratar pessoal e dar início à operação.

No dia 14 do mês passado, o Ministério da Saúde (MS) informou que o hospital estava em fase de recebimento. Na ocasião, a SES-GO afirmou que havia recebido na semana anterior um documento do MS informando que o estado estava autorizado a "adotar as providências para o funcionamento pleno do hospital", como "iniciar as tratativas para a estruturação da gestão com equipamentos, insumos, recursos humanos e medicamentos". 

Com essa autorização, o governo de Goiás começou tramitar internamente o processo de contratação da OS.

Sucessivos atrasos
Na semana passada, o secretário de Saúde de Goiás, Ismael Alexandrino, disse durante visita técnica ao local que a unidade passaria a receber pacientes na última segunda-feira (1º/6). Depois, na segunda-feira, o governo informou que estava iniciando os treinamentos dos profissionais e fluxos de atendimento e que a previsão de inauguração era na próxima quarta-feira (3/6).

Obras
 As obras foram iniciadas no dia 7 de março, com promessa de finalização em 15 dias - ou seja, 22 de abril. A reportagem apurou que no dia 23 de abril, houve uma visita técnica e foram solicitadas algumas alterações - como mudança da torneira, que era de torcer e passou para de fechamento automático (apertar). Tudo foi feito no dia seguinte, quando foi realizada a limpeza geral do espaço.

No dia 12 de maio, houve outra vistoria no local, dessa vez mais detalhada, e foram cobradas mais correções - como arrumar lâmpadas e altura de torneira, mas nada que impedisse o funcionamento do local para atender pacientes com covid-19, doença causada pelo novo coronavírus. 

A unidade começará a funcionar com 60 dos 200 leitos, sendo 50 de enfermaria e 10 de Unidades de Terapia Intensiva (UTIs). Os outros leitos serão disponibilizados conforme a necessidade, conforme informado pelo governo de Goiás.

Presidente
A inauguração da unidade terá a presença do presidente Jair Bolsonaro. Na semana em que a construção foi iniciada, ele fez uma visita no local com o ex-ministro da Saúde Luiz Henrique Mandetta e o governo de Goiás Ronaldo Caiado (DEM). 

No começo do mês passado, Bolsonaro citou o hospital de campanha em uma transmissão ao vivo em seu perfil no Facebook ao falar sobre as ações que cabem ao governo federal no combate à pandemia. Na ocasião, a unidade estava pronta, mas já vivia imbróglio burocrático.

"Estive aqui há duas semanas no hospital de campanha de Águas Lindas. Acabou de ser concluído. Estive lá com o governador Ronaldo Caiado, com o prefeito local (Hildo do Candango). Foi inaugurado. Então, está em condições de atender possíveis infectados que tenham sintomas", afirmou.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade