Urbanismo

Queda de árvore sobre adolescente expõe descaso com o Parque da Cidade

Ponto de encontro entre brasilienses, o Parque da Cidade sofre com depredação e descuido. Um adolescente teve uma parada cardiorrespiratória e uma mulher quebrou a perna ao serem atingidos por uma árvore que caiu, neste domingo (8/5)

Ana Luisa Araujo
Eduardo Fernandes*
postado em 09/05/2022 06:00
Queda de pinheiro, com quase 20 metros, feriu duas pessoas, na celebração do Dia das Mães  -  (crédito:  Ana Luisa Araujo/CB)
Queda de pinheiro, com quase 20 metros, feriu duas pessoas, na celebração do Dia das Mães - (crédito: Ana Luisa Araujo/CB)

Quando famílias celebravam o Dia das Mães, neste domingo (8/5), um adolescente, de 15 anos, teve uma parada cardiorrespiratória e uma mulher quebrou a perna após uma árvore seca cair e atingi-los, no Parque da Cidade Dona Sarah Kubitschek, próximo ao Estacionamento 4. O acidente é resultado do descaso com o local inaugurado em 11 de outubro de 1978. A maior área verde urbana da América Latina sofre as consequências da falta de manutenção. Para além dos banheiros fechados e da depredação da infraestrutura, o espaço de 420 hectares expõe os quase 51 mil visitantes semanais a diferentes riscos.

Testemunhas do incidente relataram ao Correio que o garoto brincava na rede quando um dos pinheiros em que estava amarrada despencou. Parte da árvore, com quase 20 metros de altura, acertou a cabeça do adolescente. A outra parte bateu na perna de uma mulher. Questionada sobre as providências para que não aconteçam casos como esse, a Secretaria de Esporte e Lazer, responsável pelo parque, disse em nota que, este ano, foram feitas 65 mil intervenções no parque. A Novacap lamentou o ocorrido e disse que faz poda e manutenção diariamente na área. "Quanto a árvore caída hoje (neste domingo — 8/5), a Novacap informa que enviará equipe técnica até o local logo no primeiro horário para perícia", diz a nota. "A Empresa destaca também que todas as ocorrências identificadas a olho nu recebem intervenção imediata. No caso de pinheiros, por se tratar de uma árvore de tamanho elevado, pode apresentar podridão na parte aérea, que não é identificada em solo".

  • Queda de pinheiro, com quase 20 metros, feriu duas pessoas, na celebração do Dia das Mães Ana Luisa Araujo/CB
  • Cleiciane reclama dos banheiros sujos. Ao todo, são 16 unidades Carlos Vieira/CB
  • Grama alta mostra cenário de descuido no Parque da Cidade Carlos Vieira/CB
  • Ferragens e cercas soltas são peças fáceis de encontrar no espaço Carlos Vieira/CB
  • 05/05/2022. Crédito: Carlos Vieira/CB/D.A Press. Brasil. Brasilia - DF. Cidades - Estacionamentos fechados preenchem cenário de descuido do Parque da Cidade Carlos Vieira/CB
  • 05/05/2022. Crédito: Carlos Vieira/CB/D.A Press. Brasil. Brasilia - DF. Cidades - Pista de skate abandonada virou ponto de tijolos e pedaços de concreto Carlos Vieira/CB

Quando a equipe do Corpo de Bombeiros chegou para fazer os primeiros socorros, o garoto estava em parada cardiorrespiratória. Os médicos fizeram os procedimentos de reanimação e, assim que conseguiram estabilizar os sinais vitais, o levaram para o Instituto Hospital de Base. Até o fechamento desta edição, o estado de saúde dele e da mulher com fratura na perna não havia sido divulgado.

Wendell Araujo fazia churrasco com a família e viu o garoto se balançando na rede. De repente, ele percebeu que a árvore estava caindo, e os visitantes começaram a correr. "Tinha uma pessoa perto da rede que só não foi atingida porque outro pinheiro impediu que os estilhaços de madeira a acertassem", observou Wendell.

Problemas recorrentes

Na última semana, uma equipe do Correio percorreu todo o Parque da Cidade, conversou com frequentadores e constatou uma série de problemas no espaço público. Na mesma área onde o garoto e a mulher se feriram, por exemplo, das 49 churrasqueiras, 35 estão quebradas. É fácil encontrar cercas derrubadas e arames soltos. A pista de skate se tornou um depósito para tijolos. Os oito campos de futebol aguardam manutenção.

Mãe de Bernardo, 6, Rafaela Cristina Costa, 29, levou o filho pela primeira vez ao espaço infantil. A moradora de Águas Claras lamenta o abandono do local, que era um dos favoritos quando era criança. "Tem muito brinquedo estragado, sem placas de aviso quando estão danificados. Hoje, está bem defasado de brinquedo, antigamente tinha mais e eram melhores, só o foguete que continuou a mesma coisa", ressalta.

A Associação Amigos do Parque da Cidade existe desde 1988 e foi criada para zelar e cuidar do coração da capital. O presidente, Carlos Valadares, 64, conta que assiste ao mesmo filme de descuido durante todos esses anos. "Entra governo e sai governo, mas a situação não muda. Os Amigos do Parque da Cidade acompanham esse descaso com o maior espaço de lazer do brasiliense e se limitam a protestar e defender o local", reforça.

Infraestrutura

Renato Rodrigues, 55, pedala com a mulher, Cleiciane Pinheiro, 40, ao menos três vezes por semana. Morador do Guará, ele diz que é comum andar por todo o parque e notar os banheiros masculinos trancados a cadeados. "Isso é um total abandono. A gente vem se divertir, fazer atividade física e, na hora da necessidade, não consegue encontrar nenhum banheiro aberto", reclama o aposentado.

Os banheiros femininos são praticamente inutilizáveis, segundo Cleiciane. Com os locais tomados pela falta de higiene e ausência de itens básicos, ela se preocupa com a situação e diz ser impossível entrar em qualquer sanitário do parque. "A gente se sente extremamente esquecido. Deveriam ter mais atenção à questão da limpeza e da higiene desses pontos", protesta a enfermeira.

Muitos brasilienses praticam diversos exercícios no Parque da Cidade. Gabriel Vieira, 29, realiza treinos funcionais e corre. "Aqui, não temos uma pista de atletismo, vale ressaltar que as quadras de esporte, apesar de estarem com o piso renovado e pintado, têm cestas de basquete danificadas e sem as redes usadas nos jogos", descreve, ao dizer que os campos de futebol estão completamente abandonados, com gramados arruinados, e duas quadras de tênis em reforma.

Por influência do namorado, Gabriel, a também enfermeira Jéssica Lima, 30, passou a frequentar o local há pouco mais de um ano. De acordo com ela, o espaço é perfeito para treinamentos, já que a moradora da Asa Sul não é adepta das academias. "O parque precisa melhorar, ter mais cuidados, porque é um lugar muito movimentado. O governo deveria se empenhar para cuidar desse patrimônio do brasiliense", pondera.

Reformas à vista

A Secretaria de Esporte e Lazer informou ao Correio que realiza levantamentos periódicos sobre os pontos estruturais que necessitam de melhora. A pasta destaca que, na atual gestão, 20 quadras poliesportivas, cinco de tênis e duas de beach tennis foram revitalizadas, além da construção de duas quadras de areia e da instalação de lâmpadas LED, colocadas em 13 quadras de futevôlei e vôlei de praia.

"O parque passa por constantes melhorias e reparos como novas pinturas, substituição de alambrados, pisos, iluminação e adequação de acessibilidade, novo sistema de drenagem, realinhamento de meios-fios de contenção de areia e construção de calçada ao redor das quadras com piso tátil", detalha a secretaria, que ressalta as mudanças executadas nos vestiários principais e a substituição de cerâmicas na piscina com ondas, bem como azulejos danificados, vidraças dos boxes dos chuveiros renovados e uma nova pintura nas paredes.

Em relação às 16 unidades de banheiro, a pasta afirma que aguarda a abertura do processo de licitação para contratação da empresa. Depois disso, as reformas serão iniciadas, com orçamento de R$ 750 mil, investimento de emenda parlamentar. Em finalização nos trâmites de licitação, o parque aguarda por novos bebedouros que serão colocados.

Um investimento de R$ 160 mil foi destinado ao Parque Ana Lídia em parceria com a Novacap. "Os brinquedos foram restaurados, e novos foram instalados, pintura revitalizada, além da troca do meio-fio e troca de 20 bancos", enumera a pasta, que anualmente dispõe de R$ 224 mil para a troca e manutenção das quadras e parquinhos e mantém um contrato de R$ 2 milhões para realizar essas restaurações.

Em outros pontos do Parque da Cidade, novas calçadas de passeio foram construídas e as dos estacionamentos 12 e 13 foram restauradas. Revitalizada, a Praça da Capoeira está apta para uso dos visitantes. Responsável pelo trabalho de reparação de seis entradas do Parque da Cidade, a Novacap executou trabalho de alvenaria, pintura de portões e construção total de muros.

Para evitar vandalismos e evitar depredações no parque, 80 seguranças privados realizam rondas durante 24 horas. Uma ação conjunta entre órgãos do Governo do Distrito Federal (GDF) está sendo montada, com Detran, Secretaria de Segurança Pública (SSP), DF Legal, Polícia Militar do Distrito Federal (PMDF) e Polícia Civil (PCDF) para inibir atos de vandalismo e criminosos.

*Estagiário sob a supervisão de Guilherme Marinho

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

CONTINUE LENDO SOBRE