JUSTIÇA

Daniel Alves: último dia de julgamento terá depoimento do jogador

Não há prazo para o anúncio da sentença. Até lá, Daniel Alves vai continuar preso de maneira preventiva. Se condenado, a tendência é que permaneça recluso por no máximo seis anos

Daniel Alves vai a julgamento em Barcelona acusado de estuprar uma mulher em uma boate local -  (crédito: ALBERTO ESTEVEZ, ALBERTO ESTÉVEZ / POOL / AFP)
Daniel Alves vai a julgamento em Barcelona acusado de estuprar uma mulher em uma boate local - (crédito: ALBERTO ESTEVEZ, ALBERTO ESTÉVEZ / POOL / AFP)
postado em 07/02/2024 08:12

O último dia de julgamento de Daniel Alves — acusado de agredir sexualmente uma mulher de 23 anos em uma boate de Barcelona — será nesta quarta-feira (7/2) e contará com o depoimento do jogador. A juíza Isabel Delgado Pérez acatou o pedido da defesa para que o jogador prestasse depoimento ao fim da audiência, após terem sido ouvidos a vítima, testemunhas e peritos. Esta quarta também será dedicada para a análise de dados periciais, como imagens das câmeras de segurança da boate onde aconteceu o caso e exames médicos realizados pela vítima. A sessão começa às 11h, no horário de Brasília.

Não há prazo para o anúncio da sentença. Até lá, Daniel Alves vai continuar preso de maneira preventiva. Apesar de a acusação pedir 12 anos de prisão (pena máxima) e o Ministério Público solicitar nove, a tendência é que o brasileiro, se condenado, permaneça recluso por no máximo seis anos. Isso porque no início do caso judicial, a defesa do jogador pagou à Justiça o valor de 150 mil euros (cerca de R$ 800 mil) de indenização à jovem. A advogada da mulher contesta a possível redução da eventual pena.

A vítima prestou depoimento na segunda-feira (5/2), sob uma série de medidas para proteger o anonimato para o público e não ter contato visual com o jogador — para isso, foi utilizado um biombo para isolar a mulher. Daniel Alves, que inicialmente negou conhecer a jovem, mudou a versão diversas vezes. Por fim, ele  admitiu que tiveram relações sexuais, mas alegou que foram consensuais e que se mentiu no início foi para tentar salvar seu casamento.

De acordo com o texto da acusação do Ministério Público, a agressão ocorreu em uma sala reservada na casa noturna em que o jogador já frequentava. Ele estava acompanhado por um amigo e havia conhecido a vítima, que estava com uma prima e uma amiga. Após convidá-las para beber champanhe, o ex-lateral da Seleção Brasileira teria chamado a jovem para entrar em outra área exclusiva onde ficava um pequeno banheiro.

Ainda segundo o Ministério Público, o ex-jogador do Barcelona teria demonstrado uma "atitude violenta", agredindo a mulher. Ela teria sido forçada a manter relações sexuais. "A vítima reiteradamente pediu que a deixasse ir embora, que queria sair dali, o que o réu não permitiu", indica o órgão. Uma amiga da vítima descreveu, na segunda-feira (5/2), que Daniel Alves apresentava uma "atitude babaca". 

Já a esposa do jogador, Joana Sanz, afirmou que naquela madrugada de 31 de dezembro de 2022 seu marido voltou para casa "cheirando a álcool". Essa versão também foi corroborada por um amigo do jogador. 

Com informações da AFP

Gostou da matéria? Escolha como acompanhar as principais notícias do Correio:
Ícone do whatsapp
Ícone do telegram

Dê a sua opinião! O Correio tem um espaço na edição impressa para publicar a opinião dos leitores pelo e-mail sredat.df@dabr.com.br

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação