CB.Poder

Tereza Cristina comemora aprovação de projeto contra assédio judicial no Senado

Autora do projeto quando ainda era deputada, a senadora disse que a mudança na lei trará mais tranquilidade na tramitação de ações na Justiça

Líder do PP no Senado:
Líder do PP no Senado: "Que as pessoas possam ter a sua defesa feita em um único município se as ações são as mesmas e com o mesmo conteúdo" - (crédito: Ed Alves/CB/D.A Press)
postado em 07/02/2024 16:13 / atualizado em 07/02/2024 16:13

Aprovado durante a primeira sessão deliberativa do Senado Federal após o retorno do recesso, o Projeto de Lei 5.020/2019, de autoria da senadora Tereza Cristina (PP-MS), que combate o assédio judicial, agora é encaminhado para a Câmara dos Deputados. A principal mudança que a proposta poderia gerar, caso fosse implementada, seria a unificação de ações judiciais com o mesmo conteúdo em uma única vara cível. A autora do projeto destacou a importância da aprovação em entrevista ao CB.Poder desta quarta-feira (7/2). O programa é uma parceria do Correio com a TV Brasília.

Assista à entrevista na íntegra

“Ele traz uma tranquilidade que as pessoas não tinham antes. Quando você tem uma mesma ação colocada em vários estados, precisa ter um advogado, ou estar presente, para não ser julgado à revelia. Se perdia muitas ações, então, eu tive essa ideia, e fizemos esse projeto de lei que vai voltar (à Câmara), porque teve um ajuste, uma melhoria no seu conteúdo para juizados especiais e de pequenas causas”, destacou a ex-ministra da Agricultura.

A proposta havia sido aprovada na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) do Senado em setembro do ano passado, e a relatoria foi conduzida pelo senador Esperidião Amin (PP-SC). Um dos objetivos do projeto é facilitar o comparecimento do acusado ou de seu advogado durante o processo, que pode ser dificultado quando há mais de uma vara responsável pela análise do caso.

Uma das mudanças implementadas pelo relator na versão mais recente foi a retirada de um trecho do texto que estabelecia que as regras sobre conexão e continência valiam para as chamadas ‘demandas repetitivas’, que são os processos em que a mesma questão de direito é reproduzida. Para a senadora Tereza Cristina, a meta agora é que o tema seja tratado com a maior brevidade possível.

“Eu espero que seja aprovado para que a gente possa ter esse processos de maneira correta e para que as pessoas possam ter a sua defesa feita em um único município se as ações são as mesmas e com o mesmo conteúdo. Então, ele escolhe onde quer fazer a sua defesa”, acrescentou a senadora.

*Estagiário sob a supervisão de Andreia Castro

  • CB.Poder recebe Senadora Tereza Cristina, líder do PP no Senado, ex-ministra da Agricultura, Ed Alves/CB/D.A Press
  • CB.Poder recebe Senadora Tereza Cristina, líder do PP no Senado, ex-ministra da Agricultura, Ed Alves/CB/D.A Press
  • CB.Poder recebe Senadora Tereza Cristina, líder do PP no Senado, ex-ministra da Agricultura, Ed Alves/CB/D.A Press
  • CB.Poder recebe Senadora Tereza Cristina, líder do PP no Senado, ex-ministra da Agricultura, Ed Alves/CB/D.A Press
  • CB.Poder recebe Senadora Tereza Cristina, líder do PP no Senado, ex-ministra da Agricultura, Ed Alves/CB/D.A Press
  • CB.Poder recebe Senadora Tereza Cristina, líder do PP no Senado, ex-ministra da Agricultura, Ed Alves/CB/D.A Press

Gostou da matéria? Escolha como acompanhar as principais notícias do Correio:
Ícone do whatsapp
Ícone do telegram

Dê a sua opinião! O Correio tem um espaço na edição impressa para publicar a opinião dos leitores pelo e-mail sredat.df@dabr.com.br

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação