Justiça

"Vitória da democracia", diz Barroso em posse de Dino no STF

Ex-senador assumiu o cargo no Supremo na tarde desta quinta-feira (22/2). "Ele é recebido com imensa alegria", disse presidente do STF

Presidente do STF, Luís Roberto Barroso, durante solenidade de posse do ministro Flávio Dino  -  (crédito: Antonio Augusto/SCO/STF)
Presidente do STF, Luís Roberto Barroso, durante solenidade de posse do ministro Flávio Dino - (crédito: Antonio Augusto/SCO/STF)
postado em 22/02/2024 17:28 / atualizado em 22/02/2024 17:47

O presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), ministro Roberto Barroso, enalteceu a trajetória do ex-senador Flávio Dino, que tomou posse nesta quinta-feira (22/2) como integrante da Corte. Cumprindo o rito, o novo magistrado foi conduzido ao plenário pelo mais antigo da Corte, Gilmar Mendes, e pelo mais recente, Cristiano Zanin. Logo em seguida, ele fez o juramento de cumprir a Constituição.

“Ele é recebido com imensa alegria. Um homem público que serviu o Brasil com muita capacidade nos Três Poderes. Flávio foi deputado federal, senador da República, governador de Estado por duas vezes, reeleito de maneira consagradora, ministro da Justiça, portanto também no Executivo”, disse.

“E embora uma faceta menos conhecida do seu currículo, Flávio é juiz federal concursado — primeiro colocado dele — portanto, também trafegou pelo Judiciário e foi secretário do Conselho Nacional de Justiça na gestão do ministro Nelson Jobim”, afirmou Barroso.

"Pessoa respeitada e querida"

Ao encerrar o discurso, o presidente do STF exaltou a presença na cerimônia de pessoas de diferentes direções políticas. E destacou que o cenário representa a “vitória da democracia”.

“A presença neste plenário de pessoas de visões políticas das mais diversas apenas documentam como o agora ministro é uma pessoa respeitada e querida pela comunidade jurídica, política e pela sociedade brasileira”, completou.

“E a presença de todas as pessoas, de todas as visões, também documenta a vitória de democracia, da institucionalidade e da civilidade. Flávio, nós o recebemos com muita alegria. A vida é dura, mas é boa porque nos dá o privilégio de servir ao país sem nenhum outro interesse que não seja fazer um país melhor maior”, concluiu.

Autoridades dos Três Poderes acompanharam a solenidade, como o presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva, e os presidentes da Câmara e do Senado Arthur Lira e Rodrigo Pacheco (PSD-MG), respectivamente. A lista de convidados, feita pelo próprio Dino, tem cerca de 800 nomes.

Representantes da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), da Advocacia-Geral da União (AGU) e da Procuradoria-Geral da República (PGR) também compareceram. Em vez de festa, Dino mandou rezar uma missa na Catedral de Brasília, localizada no início da Esplanada dos Ministérios.

Flávio Dino é o segundo indicado à Corte por Lula neste terceiro mandato. Ao assumir o cargo, herda um acervo inicial de 341 processos em tramitação, entre ações e recursos. Um dos casos envolve as conclusões finais da CPI da Covid do Senado e tem como um dos alvos o ex-presidente Jair Bolsonaro.

Gostou da matéria? Escolha como acompanhar as principais notícias do Correio:
Ícone do whatsapp
Ícone do telegram

Dê a sua opinião! O Correio tem um espaço na edição impressa para publicar a opinião dos leitores pelo e-mail sredat.df@dabr.com.br

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação