Latrocínio

Assassino de estudante vítima de latrocínio ao sair de escola é condenado a 28 anos

Geoffrey Stony Oliveira do Nascimento, de 16 anos, esperava o pai buscá-lo, quando foi vítima de latrocínio (roubo seguido de morte) e levou um tiro no peito. O acusado foi condenado

Darcianne Diogo
postado em 28/11/2021 22:46
Geoffrey Stony Oliveira do Nascimento,16 anos, assassinado quando saía da escola -  (crédito: Arquivo Pessoal)
Geoffrey Stony Oliveira do Nascimento,16 anos, assassinado quando saía da escola - (crédito: Arquivo Pessoal)

Pouco mais de dois meses após o latrocínio (roubo seguido de morte) que tirou a vida do adolescente Geoffrey Stony Oliveira do Nascimento, de 16 anos, a Justiça do Distrito Federal condenou o autor do crime, Matheus Ferreira, a uma pena de 28 anos e 8 meses de reclusão. O estudante foi assassinado com um tiro minutos depois de sair da escola, no Centro Educacional 11 de Ceilândia (CED 11). O crime bárbaro aconteceu na manhã de 22 de setembro e chocou a população. À época, um menor também foi apreendido pela Polícia Civil (PCDF).

No dia do crime, imagens do circuito interno de segurança de uma casa registraram a dupla (Matheus e o menor) de bicicleta momentos depois de assassinar o estudante e roubar uma adolescente. O Correio teve acesso em primeira mão à sentença de condenação. Antes de cometerem o latrocínio, os dois, com arma de fogo, abordaram uma jovem e levaram o celular. Mais à frente, poucos segundos depois, os criminosos surpreenderam Geoffray. Segundo as investigações conduzidas pela 19ª Delegacia de Polícia (P Norte), o estudante não reagiu ao assalto, e mesmo assim acabou baleado no peito.

Comunidade escolar está em choque com o crime cometido a 200 metros da instituição, na QNP 5 de Ceilândia
Comunidade escolar está em choque com o crime cometido a 200 metros da instituição, na QNP 5 de Ceilândia (foto: Darcianne Diogo)

O tiro foi dado pelo menor de idade. Em Juízo, Matheus negou participação no roubo e no latrocínio. Disse, ainda, que não tinha noção do que o colega iria fazer. Depois do crime, os dois se esconderam na casa de um amigo no Sol Nascente. Em menos de 24 horas, investigadores da 19ª DP, sob a coordenação do delegado-adjunto Thiago Peralva, prenderam Matheus e apreenderam o menor. Os dois foram flagrados usando cocaína.

Na denúncia, o Ministério Público do DF sustenta que ficou claro “o concurso de esforços entre Matheus e o adolescente [...], bem como a divisão de tarefas entre os dois para assegurar a subtração e a detenção das res furtiva, de sorte que não há como se excluir a circunstância do concurso de pessoas no delito em exame”.

Pelo crime de roubo contra a jovem, a juíza condenou Matheus a uma pena de 6 anos e 8 meses de reclusão. Em relação ao latrocínio contra o estudante, a Justiça fixou pena de 20 anos e um ano por corrupção contra menor (um ano para cada crime), totalizando uma pena de 28 anos e 8 meses de reclusão em regime fechado. Matheus não terá o direito de recorrer em liberdade.

O crime


Apaixonado por matemática, Geoffrey Stony traçava planos para ingressar na Universidade de Brasília (UnB). Cursando o 1º ano do ensino médio, o estudante se dedicava para fazer a prova do Programa de Avaliação Seriada (PAS). No dia do crime, o estudante saiu da escola por volta das 10h45 e caminhou por cerca de 200 metros até o local onde esperaria o pai buscá-lo. Enquanto estava em pé, dois homens armados em bicicletas abordaram Geoffrey, anunciaram o assalto e atiraram no peito do adolescente.


O crime deixou a comunidade escolar em choque e comoveu alunos, professores e amigos. A escola onde ele estudava chegou a decretar um dia de luto pela morte do rapaz.

 

  • Comunidade escolar está em choque com o crime cometido a 200 metros da instituição, na QNP 5 de Ceilândia
    Comunidade escolar está em choque com o crime cometido a 200 metros da instituição, na QNP 5 de Ceilândia Foto: Darcianne Diogo
  • Geoffrey Stony Oliveira do Nascimento, de 16 anos, sonhava ingressar na Universidade de Brasília (UnB). Ele foi vítima de latrocínio quando saía da escola. CED 11. Ceilândia
    Geoffrey Stony Oliveira do Nascimento, de 16 anos, sonhava ingressar na Universidade de Brasília (UnB). Ele foi vítima de latrocínio quando saía da escola. CED 11. Ceilândia Foto: Darcianne Diogo/CB/DA Press
Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

CONTINUE LENDO SOBRE