Gama

Pai de feminicida que trocou tiros com a polícia morre em hospital

Gilmar Melo, PM aposentado, morreu um mês após a morte de Taynara Kellen, crime atribuído ao filho do ex-militar

O policial militar aposentado Gilmar Melo foi baleado ao trocar tiros com policiais civis e membros do MPDFT. -  (crédito: Redes sociais)
O policial militar aposentado Gilmar Melo foi baleado ao trocar tiros com policiais civis e membros do MPDFT. - (crédito: Redes sociais)
postado em 10/02/2024 19:59 / atualizado em 10/02/2024 21:00

Um mês após o assassinato de Taynara Kellen, o pai do ex-companheiro dela, Gilmar Melo, faleceu este sábado (10/2), no hospital onde tentava se recuperar dos ferimentos que sofreu numa troca de tiros com policiais. O PM aposentado resistiu a uma operação do Ministério Público do DF (MPDFT) e da Polícia Civil (PCDF) organizada para apurar denúncia de que guardava armas ilegais em sua casa. Elas, segundo a investigação, pertenceriam ao seu filho e ex-militar, Wesly Denny da Silva, acusado de matar a profissional de estética.

A ação do MPDFT e da PCDF ocorreu quinta-feira (8/2). Quando os investigadores chegaram à residência de Melo, ele os recebeu com disparos. Acabou baleado e levado ao centro de saúde de onde ficou internado.

Na Justiça, o sogro do Taynara acumulava antecedentes criminais, inclusive por violência doméstica. Gilmar chegou a ser denunciado ao menos por agressões a mulheres, inclusive tentativa de assassinato.

Gostou da matéria? Escolha como acompanhar as principais notícias do Correio:
Ícone do whatsapp
Ícone do telegram

Dê a sua opinião! O Correio tem um espaço na edição impressa para publicar a opinião dos leitores pelo e-mail sredat.df@dabr.com.br

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação