Carnaval

Roqueiros e metaleiros podem curtir o carnaval? DF mostra que sim!

O Carnametal, no Teatro Garagem, o Carnarock , na Casa do Cantador, e Os Brincantes do Gama promovem a folia em rimo de rock

A banda paulista Torture Squad agita o Carnametal  -  (crédito: Divulgação)
A banda paulista Torture Squad agita o Carnametal - (crédito: Divulgação)
postado em 10/02/2024 03:55

Roqueiros e metaleiros também podem curtir o carnaval? Há quem diga que sim! Apesar que, para muitos, os segmentos não se misturam, na capital do rock, essa fusão cultural está a todo vapor. Neste final de semana, o DF recebe dois eventos para o público underground da cidade: o Carnarock e o Carnametal.

Roqueiros e metaleiros também podem curtir o carnaval? Há quem diga que sim! Apesar que, para muitos, os segmentos não se misturam, na capital do rock, essa fusão cultural está a todo vapor. Neste final de semana, o DF recebe dois eventos para o público underground da cidade: o Carnarock e o Carnametal.

Rock carnavalesco

O Carnarock será realizado na Casa do Cantador, pela primeira vez, e promete ser uma edição histórica. O festival nasceu em 2000 com o objetivo de quebrar a tradição das folias convencionais e oferecer uma experiência única aos rockeiros. O Carnarock se divide em shows, hoje e amanhã, sendo o primeiro dia com uma line up composta de covers com as bandas Vanice, Viper66, Quinto AZ, Prollogy, Megera, Iron Force. Já no segundo, as bandas autorais Barbarella B, Intokáveis, kidsgrace, Rota 040, Baratas de Chernobyl, Terno Elétrico, Sem Fuga BSB, Os Maltrapilhos e Mofo assumem o palco.

Ao Correio, Ronan Meireles, o idealizador do itinerante Carnarock, conta o que motivou escolher a Casa do Cantador como palco do evento. “Será um grandioso prazer realizá-lo na poderosa Ceilândia, Região Administrativas de tanta tradição dentro do rock candango”, destaca. O produtor ressalta que o roqueiro também deve curtir a folia. “O carnaval brasileiro é o maior espetáculo da terra. E, como não se orgulhar desse título?! Ele representa nossa cultura e história, doa a quem doer. A música é manifestação cultural, de vida e o rock não é diferente. O rock é atitude, tendência, revolução, cultura, assim como nosso carnaval”, afirma.

Tuttis, vocalista da banda Kidsgrace, uma das atrações mais esperadas do evento, observa qual a relação do rock com essa época de folia. “O carnaval é uma grande festa que abrange a cultura brasileira e o rock sempre esteve por aqui ou ali. Embora não seja o estilo preferido do país”, reconhece, com humor. A cantora enfatiza a importância de festivais como esse durante a folia carnavalesca. “Ainda é um estereótipo de que a galera do rock não curte o carnaval. Talvez, por não curtir a música da grande mídia, mas o carnarock tá aí pra provar que não tem nada a ver”, opina.

A banda autoral Intokaveis também faz parte do line up do evento e o guitarrista Wendel Ribeiro comenta como é a preparação para a festa do rock. “É diferente por se tratar de um show de rock na época do carnaval. Por isso, tentamos fazer um show que alcance todo o tipo de público presente”, explica. “O rock autoral precisa de mais espaços como esse para mostrar o talento das bandas locais. Sentimos a necessidade de fazer um grande show para conseguir mais trabalhos e tocar em mais espaços como esses”, finaliza o músico.

Carnarock 2024

Hoje e amanhã, na Casa do Cantador (QNN Quadra 32 Área Especial G - Ceilândia), às 14h.

Entrada gratuita.

Folia do heavy metal

A tribo dos metaleiros também não vai ficar desamparada porque o Carnametal chega para agitar as estruturas do Teatro Garagem, celeiro do heavy metal em Brasília. O evento, que é o único carnaval de metal do quadradinho, será realizado hoje e traz as bandas Torture Squad (SP), Bloodskin - Slayer Tribute Band Brazil (DF), Metabolic - Slipknot Cover (DF), Black Rainbow - Black Sabbath Tribute e Spiritual Healing - Death Tribute (DF).

Os shows têm como objetivo trazer de volta a força da cena do heavy metal a Brasília. O idealizador do Carnametal e baterista da Bloodskin, Solon Beethoven, ressalta que os metaleiros podem curtir o carnaval, sim, apesar de alguns grupos não se encantarem tanto. “Os headbangers que curtem mais o heavy metal; thrash metal não curtem muito não!”, afirma.

Mesmo sendo uma banda brasiliense, Bloodskin é mais reconhecida fora da capital em decorrência dos shows que realiza no Brasil e no mundo. O músico enfatiza o sentimento da banda tocar na cidade. “Tocar em Brasília é demais! O público aqui é muito presente e adora! Brasília tem uma identidade cultural própria. Estar ao lado de bandas de alto padrão de qualidade é o máximo para nós”, completa.

Além disso, a banda paulista Torture Squad vai realizar o lançamento do novo álbum, intitulado Devilish, durante o Carnametal. Ano passado, o grupo composto por May “Undead” Puertas (voz), Rene Simionato (guitarra), Castor (baixo) e Amilcar Christófaro (bateria) completou 30 anos de carreira.

O baterista do quarteto heavy metal afirma, com humor, que o metaleiro pode aproveitar o carnaval , sim, mas com roupa preta. “Cada um curte do seu jeito. Vejo o carnaval com um sentido maior, é um evento que está aí para o povo dar uma respirada e curtir a vida. Lembrar que a vida é boa. Pode se fazer isso com samba, rock, metal, com qualquer estilo que a pessoa curta. A arte, a música conforta”, afirma.

Amilcar ressalta a igualdade de interesses do público tradicional carnavalesco e dos fãs de metal. “A relação que existe entre ambas é a vontade que as pessoas têm de irem para um evento e se divertirem. Elas vão em um carnaval para curtir os desfiles, os bailes, a música para sair dali completamente exaustas de tanta diversão. Em um show de rock, metal é a mesma coisa”, enfatiza. “Tenho muito respeito pela festa popular, pelas tradições das escolas de samba do país e desejo que sempre nesse período o povo saia do carnaval mais leve pra viver uma vida mais fluida e humana”, completa o músico.

Carnametal 2024

Hoje, no Teatro Garagem (Via W4 Sul, Qd 713/913, Brasília), às 15h. Os ingressos custam a partir de R$ 40 e podem ser adquiridos no local.

Farra fora do eixo

O mais novo bloco baiano de Quenguenhém — o bloco que toca Raul! com a banda A Maçã chega para agitar o carnaval no Gama. O projeto lançado no Carnaval dos brincantes será, hoje, a partir das 15h, na praça Lourival Bandeira, mais conhecida como praça do Cine Itapuã. Tudo com acessibilidade com libras e audiodescrição.

O novo bloco promete proporcionar uma experiência única, em que a magia do carnaval se encontra com o melhor do rock brasileiro. O Gama vai reviver os clássicos de Raul Seixas e transformar a noite numa verdadeira festa de cores, ritmos e alegria.

O bloco Brincantes do Gama nasceu em 2008 da união de vários artistas da RA com diferentes habilidades artísticas, atores, palhaços, bonequeiros e músicos. Desde a criação, eles se apresentam anualmente no Gama. Além disso, são convidados para cortejos e espetáculos em importantes eventos e festivais no Distrito Federal e no entorno.

Carnaval dos brincantes do Gama

Hoje, na praça Lourival Bandeira (Gama), às 15h.

Estagiário sob supervisão de Severino Francisco

  • Banda A maçã agita o Carnaval 
dos Brincantes
    Banda A maçã agita o Carnaval dos Brincantes Foto: Arquivo pessoal
  • Kidsgrace é uma das atrações do Carnarock
    Kidsgrace é uma das atrações do Carnarock Foto: Divulgação
  • Bloodskin apresenta a pauleira do 
rock no 
Carnametal
    Bloodskin apresenta a pauleira do rock no Carnametal Foto: Bloodskin/Reprodução
Gostou da matéria? Escolha como acompanhar as principais notícias do Correio:
Ícone do whatsapp
Ícone do telegram

Dê a sua opinião! O Correio tem um espaço na edição impressa para publicar a opinião dos leitores pelo e-mail sredat.df@dabr.com.br

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação