CINEMA

Caixa Cultural apresenta Mostra Adinkra de Cinema Afro

A mostra reúne oito curta-metragens de diretores de todo o Brasil e será aberta nesta terça-feira (27/2), às 19h

Cena do curta Alexandrina -  (crédito:  Joao Paulo Machado)
Cena do curta Alexandrina - (crédito: Joao Paulo Machado)
postado em 26/02/2024 10:45

A Mostra Adinkra de Cinema Afro Amazônico traz para Brasília o olhar de diretores da região
do Amazonas, Amapá, Mato Grosso, Pará e Roraima. Os curtas apresentados na mostra abordam temas como ancestralidade, a luta feminina e imaginário na confluência África-Amazônia. O evento será realizado na Caixa Cultural, a partir desta terça-feira (27/2), às 19h, e quarta-feira (28/2), com a programação traduzida em libras.

A programação conta com a presença dos produtores, distribuição de colares com os símbolos Adinkra, mudas de plantas consideradas sagradas e degustação de comidas paraenses. Após a exibição dos curtas, o espaço Mete Masie da Caixa Cultural vai abrigar rodas de bate-papo, que encerram a programação de cada noite. Na terça-feira (27/2), o tema ‘Cinema de impacto na Amazônia’ será abordado pelo cineasta Rodrigo Antônio; na quarta-feira (28/2), o músico ganês Francis Angmortey vai falar sobre a ‘Cultura Ganesa dos Akan e os Adinkras’.

Os Adinkras são símbolos de uma escrita pictográfica, criada pelo povo Akan, do Oeste da África. O projeto chega a Brasília com a expectativa de atrair, além do público em geral, migrantes da região Norte: “Brasília tem gente de todo o Brasil. Como sabemos que muitas pessoas amazônidas também moram e trabalham na cidade, estamos ansiosos para promover este encontro”, diz Lu Peixe, que assina a curadoria dos filmes.


Programação


Terça-feira (27/02)
19h
Sessão Duafe
A busca pelo asseio, bondade, amor, cuidado, objeto de adorno desejado pelas mulheres Akan, a sessão Duafe conecta o público com o feminino amazônico.
Filmes:
Alexandrina - Um Relâmpago, de Keila Sankofa (AM)

Velhice Ilumina o Vento, de Juliana Segóvia (MT)
19h30

Sessão Sankofa
Se wo were fi na wo sankofa a yenkyi - “Retornar ao passado para ressignificar o presente e construir o futuro”. A sessão Sankofa traz filmes que retornam ao passado para ressignificar o presente e construir o futuro.
Filmes
Meus santos saúdam teus santos, de Rodrigo Antonio (PA)
Utopia, de Rayane Penha (AP)
20h
Mate Masie (Bate-papo com realizadores)
Cinema de impacto na defesa da floresta Amazônica

Rodrigo Antônio, diretor do filme ‘Meus santos saúdam teus santos’ fala sobre o desafio de mudar o pensamento sobre as representações da Amazônia a partir da linguagem audiovisual.

Quarta-feira (28/2)
19h
Sessão Ananse – Filmes em libras
Mensageira suprema, dona de todas as histórias, símbolo da sabedoria, criatividade, engenho e complexidades da vida. A sessão Ananse é alimentada pelo imaginário de realizadores Afro Amazônicos.
Filmes:
Nome sujo, de Artur Roraimana (RR)
Minguante, de Maurício Moraes (PA)

19h30

Sessão Aya - Filmes em libras
Mensuro wo - “Não tenho medo de você”. “Sou independente de você”. A sessão Aya mostra a resistência, desafio contra as dificuldades, perseverança, independência e desenvoltura no cinema Afro Amazônico.
Filmes:
Não quero mais sentir medo, de André dos Santos (PA)
Maria, de Elen Linth e Riane Nascimento (AM)

20h
Mate Masie
Os Adinkras e a cultura Akan - tradução simultânea em libras

Francis Angmortey aborda os Adinkras e a cultura Akan na perspectiva da mostra e sua relação com os filmes exibidos.

Serviço
Mostra Adinkra de Cinema Afro Amazônico
Dias: 27 e 28 de fevereiro 2024
Local: CAIXA Cultural Brasília
Hora: 19h
Classificação indicativa: 10 anos
Entrada gratuita

*Matéria feita por Ana Carolina Rubo, estagiária sob a supervisão de Severino Francisco. 

 

 

Gostou da matéria? Escolha como acompanhar as principais notícias do Correio:
Ícone do whatsapp
Ícone do telegram

Dê a sua opinião! O Correio tem um espaço na edição impressa para publicar a opinião dos leitores pelo e-mail sredat.df@dabr.com.br

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação