Eleições

Ipespe: rejeição ao governo aumenta e Bolsonaro não cresce nos votos

Levantamento divulgado nesta sexta-feira (20/5) mostra aumento de 1% na rejeição ao atual governo em relação à semana passada. Nas intenções de voto, Bolsonaro se mantém com 32%

Victor Correia
postado em 20/05/2022 12:27 / atualizado em 20/05/2022 12:55
 (crédito: ED ALVES/CB/D.A.Press)
(crédito: ED ALVES/CB/D.A.Press)

Pesquisa Ipespe divulgada nesta sexta-feira (20/5) mostra que a rejeição ao governo de Jair Bolsonaro (PL) aumentou em 1% em relação ao levantamento da semana passada, alcançando 61% contra 35% de aprovação. O levantamento mostra ainda que o atual presidente não cresceu nas intenções de voto, mantendo os 32% da última pesquisa estimulada — quando os participantes são apresentados a uma lista de candidatos.

Dentre os participantes, 52% avaliam o atual governo como ruim ou péssimo, contra 51% na sexta-feira passada (13). Já a taxa de avaliações como bom ou ótimo se mantém em 32%, e 16% avaliam como regular a atual administração. 

Em relação à economia brasileira, 62% dos participantes consideram que o país está caminhando para o lugar errado, contra 33% que acreditam que está no caminho certo.

A pesquisa foi realizada entre os dias 16 e 18 de maio, com 1.000 participantes de todo o país entrevistados por telefone. A margem de erro estimada é de 3,2 pontos percentuais.

Doria e Tebet cresceram na última semana

Sobre as eleições presidenciais, o levantamento indica que o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) mantém a liderança com 44% das intenções de voto, seguido por Bolsonaro com 32%. Os valores são os mesmos do levantamento anterior, divulgado na sexta-feira passada, referentes à pesquisa estimulada.

Ciro Gomes (PDT) continua em terceiro, com os mesmos 8% das intenções. Logo depois vem o ex-governador de São Paulo João Doria (PSDB) com 4%, ganhando um ponto percentual em relação à semana passada. A senadora Simone Tebet (MDB), confirmada na quarta-feira (18) como a cabeça da chapa única entre PSDB, MDB e Cidadania, também subiu um ponto percentual nesta semana e alcançou 2% das intenções de voto.

Felipe D'Ávila (Novo), Vera Lúcia (PSTU) e José Maria Eymael (Democracia Cristã) não alcançaram 1% das citações. Já o presidente do União Brasil, Luciano Bivar, não foi citado por nenhum participante.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

CONTINUE LENDO SOBRE