Operação Tempus Veritatis

No governo, orientação é não debochar de ação da PF contra bolsonaristas

No Planalto, a ordem é não fazer piada nas redes sociais com os alvos da operação, ao contrário do que ocorreu no caso de Carlos Bolsonaro

O presidente não quer comentários e piadas sobre a ação, dada a gravidade das acusações e dos nomes envolvidos -  (crédito:  Ed Alves/CB/DA.Press)
O presidente não quer comentários e piadas sobre a ação, dada a gravidade das acusações e dos nomes envolvidos - (crédito: Ed Alves/CB/DA.Press)
postado em 08/02/2024 11:35

No Palácio do Planalto, a orientação para auxiliares do presidente Luiz Inácio Lula da Silva é não fazer comentários e nem deboches nas redes sociais das ações da operação "Tempus Veritatis", que atingiu o ex-presidente Jair Bolsonaro e a cúpula militar de seu governo nesta quinta-feira (8/2).

O silêncio é a determinação que vale para ministros e servidores de segundo e terceiros escalões.

Lula não quer ver repetido o que ocorreu na operação que atingiu Carlos Bolsonaro, há 10 dias, quando o filho do presidente foi alvo dos agentes. Uma peça do governo naquele dia sobre os cuidados com a dengue, exibia um homem batendo numa porta com a legenda "toc, toc, toc". E orientava que "quando os agentes comunitários de saúde baterem à sua porta, não tenha medo, apenas receba-os".

Essa propaganda foi muito criticada por ter deixado claro ser uma provocação à operação contra o filho do ex-presidente.

No Planalto, disse um assessor ao Correio, a medida a ser considerada agora são as palavras de Lula hoje em Belo Horizonte, em entrevista a rádio Itatiaia, quando o presidente afirmou ser "muito difícil um presidente da República comentar sobre uma operação da Polícia Federal que ocorre em segredo de Justiça. Espero que não ocorra nenhum excesso e seja aplicado o rigor da lei. Sabemos dos ataques à democracia. Precisamos saber quem financiou os acampamentos. Vamos esperar as investigações".

O presidente não quer comentários e piadas sobre a ação, dada a gravidade das acusações e dos nomes envolvidos.

Tags

Gostou da matéria? Escolha como acompanhar as principais notícias do Correio:
Ícone do whatsapp
Ícone do telegram

Dê a sua opinião! O Correio tem um espaço na edição impressa para publicar a opinião dos leitores pelo e-mail sredat.df@dabr.com.br

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação