Publicidade

Correio Braziliense

Retrospectiva 2016: os acontecimentos que impactaram o mundo

Guerras, atentados, eleição presidencial dos EUA e tragédias aéreas marcaram o ano que se finda


postado em 27/12/2016 19:16 / atualizado em 27/12/2016 19:16

Infelizmente, guerras, violência e tragédias marcaram o ano de 2016. Os atentados terroristas em vários países e a Guerra da Síria deixam um rastro de sangue na memória do ano que está acabando. Na Europa, o impacto da saída do Reino Unido da União Européia, e nos Estados Unidos, a inesperada vitória de Donald Trump na corrida presidencial marcam o cenário político mundial. O furacão que devastou o Haiti e as tragédias aéreas também estão entre os principais acontecimentos deste ano.

 

Confira os fatos que marcaram o ano de 2016:

Janeiro

Prisão de El Chapo

(foto: Yuri Cortez/AFP - 13/7/15)
(foto: Yuri Cortez/AFP - 13/7/15)

 

O ano de 2016 começou com a prisão do traficante mais procurado do século XXI. No dia 8 de janeiro, Joaquim Guzmán Loera, o El Chapo, foi preso pela terceira vez, agora na cidade de Mochis, no México.

 

Atentado em Istambul

(foto: STR/AFP)
(foto: STR/AFP)

 

Um atentado no bairro turístico de Sultanahmet, em Istambul, na Turquia, provocou 11 mortes e deixou outras 15 pessoas feridas em 12 de janeiro. O local da explosão fica perto da basílica de Santa Sofia e da Mesquita Azul. Todos os mortos eram estrangeiros, sendo dez alemães e um peruano. O autor do atentado, Nabil Fadli, pertencia ao autoproclamado Estado Islâmico (Daesh) e entrou na Turquia através da Síria.

 

Atentados em Jacarta

(foto: Romeo Gacad/AFP)
(foto: Romeo Gacad/AFP)

 

Em 14 de janeiro, a cidade de Jacarta, na Indonésia, foi alvo de um ataque terrorista que deixou 17 pessoas mortas. Pelo menos três homens-bomba detonaram os explosivos dentro da cafeteria Starbucks, enquanto outros atiraram contra um posto policial. O tiroteio e ataque à bomba foram reivindicados pelo Estado Islâmico.

 

Fevereiro

Surto de Zika: OMS declara emergência internacional por microcefalia

(foto: AFP / Miguel SCHINCARIOL)
(foto: AFP / Miguel SCHINCARIOL)

 

Em 1º de fevereiro, a Organização Mundial da Saúde considerou que o avanço da microcefalia ligada ao zika vírus era uma “emergência internacional”. Estima-se que entre 3 a 4 milhões de pessoas contraíram a infecção em 2016.

 

Atentado terrorista em Ancara, Turquia, provoca 28 mortos e 61 feridos 

 

(foto: Fatih Pinar / AFP Photo)
(foto: Fatih Pinar / AFP Photo)

 

Um carro bomba explodiu na cidade de Ancara, na Turquia, em 17 de fevereiro.  A explosão causou a morte de 28 pessoas e deixou outros 61 feridos. O ataque visou um comboio de ônibus do exército perto da praça central de Kizilay, onde estão localizados vários ministérios, o Estado Maior do exército e o Parlamento turco. Nenhum grupo terrorista assumiu a responsabilidade pelo atentado.

 

Março

 

Obama em Havana

(foto: NICHOLAS KAMM/AFP)
(foto: NICHOLAS KAMM/AFP)

 

Depois de anos de afastamento político, o presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, esteve em Cuba, que não recebia um presidente americano há 88 anos, e consolidou um novo momento na relação diplomática entre os dois países.

 

Ataque em Bruxelas

(foto: AFP)
(foto: AFP)

 

Na Bélgica, dois atentados aterrorizaram Bruxelas em 22 de março, ocorridos no metrô (estação Maelbeek/Maalbeek) e no aeroporto de Zaventem, deixando 35 mortos, entre eles os terroristas. Poucas horas depois, o grupo extremista Estado Islâmico (EI) reivindicou a autoria dos ataques.

 

Abril

Panama Papers

(foto: Christof Stache/AFP)
(foto: Christof Stache/AFP)

 

Abril ficou marcado pelo maior vazamento de documentos da história, gerando um escândalo de corrupção em todo o mundo. O escândalo, batizado de Panamá Papers, divulgou 11,5 milhões de arquivos que denunciavam um esquema global de ocultação de patrimônio e dinheiro por parte de líderes mundiais, chefes de estado e figuras públicas. Após isso, diversos países começaram a abrir investigações sobre lavagem de dinheiro e evasão fiscal de seus servidores.

 

Acordo climático de Paris

(foto: Beto Barata/PR)
(foto: Beto Barata/PR)

 

Um número recorde de países assinou um acordo histórico que visa desacelerar o aquecimento global. Ao todo, 175 nações, incluindo o Brasil e os maiores poluidores do mundo, EUA e China, se comprometeram a adotar medidas para manter o aumento da temperatura abaixo dos 2ºC. O acordo vigora desde 4 de novembro para 95 países.

 

Estados Unidos confirmam vínculo do Zika vírus com a microcefalia

(foto: João Carlos Lacerda/Divulgação FAV)
(foto: João Carlos Lacerda/Divulgação FAV)

 

Após estudos, pesquisadores do Centro de Controle de Doenças (CDC) dos Estados Unidos confirmaram que o zika vírus é a causa da microcefalia e outros danos cerebrais identificados em fetos. A pesquisa concluiu ainda que, apesar de a relação estar confirmada, não significa que toda mulher que for infectada pelo vírus durante a gravidez dará à luz um bebê com microcefalia.

 

Onda de terremotos

(foto: Rodrigo Buendia/AFP)
(foto: Rodrigo Buendia/AFP)

 

Ao menos três terremotos de grande magnitude atingiram várias partes do mundo. Em 16 de abril, o Equador registrou um sismo de 7,8 graus de magnitude que deixou 659 mortos e 12.492 feridos, O terremoto foi o terceiro com mais vítimas na América Latina. Dois dias antes, um terremoto de 6,0 atingiu a ilha de Kyushu, no sul do Japão, e deixou dois mortos.

 

Maio

Queda do avião da EgyptAir

(foto: Khaled Desouki/AFP)
(foto: Khaled Desouki/AFP)

 

Em 19 de maio, a queda de um avião da EgyptAir, que saiu de Paris com destino a Cairo, no Egito, deixou 66 pessoas mortas. O governo egípcio diz que indícios apontam que a queda pode ter sido provocada por uma explosão, porém, a França sustenta que falhas técnicas podem ter derrubado o avião.

 

Morte do gorila Harambe 

(foto: Reprodução)
(foto: Reprodução)

 

Um gorila do zoológico de Cincinnati, nos Estados Unidos, foi morto por tratadores após um garoto de 4 anos ter caído em seu cativeiro. A criança ficou cerca de 10 minutos com o gorila, de 17 anos, e a equipe de cuidadores considerou a situação como uma ameaça à vida do garoto decidindo matar o animal. A ação foi duramente criticada em todo mundo, por considerarem que tranqüilizantes já derrubariam o animal.

 

Junho

Massacre na boate Pulse

(foto: Gerardo Mora/AFP)
(foto: Gerardo Mora/AFP)

 

O dia 12 de junho foi marcado pela morte de 50 pessoas em um ataque terrorista na boate gay Pulse, em Orlando, Flórida. Outras 53 pessoas ficaram feridas. O atirador, Omar Siddique Mateen, de 29 anos, foi morto em confronto com a polícia. O ataque foi considerado o pior episódio com armas de fogo da história dos Estados Unidos.

 

Brexit

(foto: BEN STANSALL/AFP)
(foto: BEN STANSALL/AFP)

 

O ano de 2016 registrou a primeira saída de um país da União Européia. Após referendo, 52% dos eleitores aprovaram a saída do Reino Unido do bloco. O resultado ainda culminou na renúncia do primeiro-ministro britânico David Cameron.


Atentados em Istambul

(foto: ILHAS NEWS AGENCY/HANDOUT/AFP PHOTO)
(foto: ILHAS NEWS AGENCY/HANDOUT/AFP PHOTO)

 

Em 28 de junho, uma série de atentados no Aeroporto de Istambul – o maior da Turquia – deixou 42 pessoas mortas e 239 feridas. Um terrorista abriu fogo contra passageiros no estacionamento do terminal ao mesmo tempo em que explosões foram registradas no portão de desembarque internacional, causadas por homens-bomba. Nenhum grupo terrorista assumiu a responsabilidade do ataque.

 

Julho

 

Ataque em Bangladesh

(foto: AFP)
(foto: AFP)

 

Homens armados invadiram um café no dia 1º de julho deixando 20 reféns mortos, a maioria estrangeiros, em Daca, capital de Bangladesh. O Estado Islâmico e a filial da Al Qaeda na Índia reivindicaram o ataque.

 

Eleição de Theresa May no Reino Unido

 

(foto: US EMBASSY LONDON)
(foto: US EMBASSY LONDON)

 

Após o Brexit e a renúncia de David Cameron, a ex-ministra do interior Theresa May foi nomeada para o cargo de premiê britânico. May é a segunda mulher a assumir o cargo, realizando o mesmo feito de Margareth Tatcher.

 

Ataque em Nice 

 

(foto: Valery Hache/AFP)
(foto: Valery Hache/AFP)

 

As cidade de Nice, na França, foi palco do terror em 14 de julho. O franco-tunisiano Mohamed Bouhlel, em nome do Estado Islâmico, entrou velozmente em uma avenida na costa da cidade, dirigindo um caminhão, durante a comemoração do Dia da Bastilha. Ao todo, 84 pessoas morreram e mais de 200 ficaram feridas.

 

Golpe na Turquia

 

(foto: YASIN AKGUL/AFP)
(foto: YASIN AKGUL/AFP)

 

Na noite de 15 de julho, um grupo de militares tomou as ruas de Istambul e Ancara - capital da Turquia - com tanques, deixando mortos e feridos, e declarou ter assumido o controle do país através de um golpe militar. Porém, o presidente Recep Tayyip Erdogan respondeu com uma ofensiva contra os militares. Pouco tempo depois, o controle foi retomado. A tentativa seria apenas o início de meses de tensão que estariam por vir no país.

 

Atentado em Munique

 

(foto: AFP/STR)
(foto: AFP/STR)

 

Em 22 de julho de 2016, três tiroteios ocorreram no shopping Olympia-Einkaufszentrum, em Munique, Alemanha, matando 10 pessoas. Os ataques começaram em uma lanchonete próxima ao shopping. O atirador foi identificado como Ali David Sonboly, de 18 anos e teria agido sozinho. O jovem era de ascendência germano-iraniana e não tinha ligação com nenhuma organização terrorista.


Agosto

Crise humanitária e guerra na Síria

 

(foto: AMC/HO/AFP)
(foto: AMC/HO/AFP)
 

 

O ano de 2016 ficará marcado pela violência da Guerra da Síria, mais precisamente na cidade de Aleppo. A foto do menino Omran Daqneesh foi um dos símbolos do sofrimento que a população do país enfrenta. No registro do dia 18 de agosto, a criança está coberta pelo pó de uma explosão e com sangue no rosto. Hoje, a cidade, que era o centro econômico do país, está destruída por conta da guerra. 


Terremoto na Itália

 

(foto: STEFANO SBRULLI/AFP)
(foto: STEFANO SBRULLI/AFP)

 

Um terremoto de magnitude 6,2 atingiu a região central da Itália, em 24 de agosto, entre os municípios de Perúgia e Rieti, sendo Amatrice a mais atingida. Mais de 280 pessoas morreram.  Esse terremoto foi o mais forte registrado desde 1980, quando 2,9 mil morreram. Em outubro, outros dois tremores de 6,5 graus deixaram entre 30 e 40 mil pessoas desabrigadas na mesma região.

 

Setembro

Teste nuclear na Coréia do Norte

(foto: ED JONES/AFP)
(foto: ED JONES/AFP)
 

 

Em setembro, o país norte coreano realizou mais um poderoso teste nuclear, causando um terremoto de 5,3 de magnitude que foi sentido na Coréia do Sul. Os testes resultaram em sanções econômicas ao país, impostas por todos os países membros da ONU.

 

Tensão racial nos EUA

(foto: Laura Buckman/AFP)
(foto: Laura Buckman/AFP)
 

 

A morte de dois homens negros desarmados em Oklahoma e na Carolina do Norte durante o mês de setembro escancarou o racismo na força policial do país. O evento causou comoção e revolta nos Estados Unidos, além de reforçar as estatísticas de que pessoas negras são as que mais morrem pelas mãos da polícia norte-americana. 

 

Outubro

Furacão Matthew

 

(foto: ERIKA SANTELICES/AFP)
(foto: ERIKA SANTELICES/AFP)

 

A passagem do Furacão Matthew agravou ainda mais a crise humanitária do Haiti. O país teve cidades inteiras devastadas, mais de 900 mortos e 350 mil em situação de assistência humanitária. O furacão ainda deixou centenas de vítimas na passagem pela América Central, Caribe e Estados Unidos. 

 

Ofensiva iraquiana contra o Estado Islâmico

 

(foto: AFP)
(foto: AFP)

 

Durante o mês de outubro, o Iraque deu início à ofensiva mais importante desde o início da guerra contra o Estado Islâmico. Com o auxílio do exército dos Estados Unidos, o país começou a batalha por Mosul, segunda maior cidade do país, que está sob o controle dos extremistas desde julho de 2014. A operação está até hoje em campo. Segundo a ONU, mais de 86 mil pessoas fugiram da violência da região.

 

Novembro

Donald Trump presidente

 

(foto: TY WRIGHT/AFP)
(foto: TY WRIGHT/AFP)

 

O assunto de maior repercussão mundial em 2016 certamente foi a vitória de Donald Trump nas eleições presidenciais dos Estados Unidos. O republicano superou a democrata Hillary Clinton e vai suceder Barack Obama. A campanha de Trump foi recheada de declarações polêmicas, entre elas, a de que construiria um muro na fronteira com o México para barrar a entrada de imigrantes ilegais, tudo, segundo o republicano, pago pelos mexicanos.

 

Morte de Fidel Castro

 

(foto: ADALBERTO ROQUE/AFP)
(foto: ADALBERTO ROQUE/AFP)
 

 

Fidel Castro, o líder da Revolução Cubana de 1959, morreu em Havana aos 90 anos no dia 25 de novembro. Desde 2006, ano em que transferiu o poder da ilha para seu irmão Raúl Castro, Fidel enfrentava diversos problemas de saúde. Várias personalidades políticas de todo o mundo compareceram ao funeral do líder cubano.

 

Acordo de Paz na Colômbia

 

(foto: GUILLERMO LEGARIA/AFP)
(foto: GUILLERMO LEGARIA/AFP)
 

 

Um acordo histórico assinado entre a Colômbia e as Forças Revolucionárias da Colômbia (Farc) colocou fim a um conflito armado que durava 52 anos. Um primeiro acordo havia sido votado em outubro em um referendo, mas as tratativas foram derrotadas. O texto incluía a renúncia das Farc de qualquer ligação com o tráfico de drogas além da anistia dos guerrilheiros incluídos no confronto. No dia 30 de novembro, um novo acordo com poucas mudanças foi aprovado pelo Congresso colombiano.

 

Dezembro

Embaixador russo é assassinado

(foto: HASIN KILIC/AFP)
(foto: HASIN KILIC/AFP)
 

 

Na noite do dia 19 de dezembro, um ex-funcionário do batalhão de choque da polícia de Ancara, na Turquia, matou a tiros o embaixador da Rússia no país, Andrey Karlov. O diplomata abria uma exposição de fotos quando foi atingido pelo assassino, que gritou palavras sobre Aleppo e Síria após o ataque.

 

Ataque em Berlim

 

(foto: ODD ANDERSEN/AFP)
(foto: ODD ANDERSEN/AFP)

 

Um caminhão invadiu um mercado de Natal em Berlim matando 12 pessoas e deixando outras 48 feridas. O ataque aconteceu na noite do dia 19 de dezembro em um mercado de Natal da capital da Alemanha. O Estado Islâmico assumiu a autoria. O tunisiano Anis Amri, que estava dirigindo o caminhão, foi morto pela polícia italiana no dia 23/12.

 

Queda de avião militar russo

(foto: ALEXANDER NEMENOV)
(foto: ALEXANDER NEMENOV)
 

 

Um avião militar russo que seguia para a Síria caiu no mar Negro com 92 pessoas a bordo, no domingo de Natal, e não deixou nenhum sobrevivente. O Tupolev Tu-154 decolou às 5h40 (horário local) da cidade de Adler, com destino à base aérea de Hmeimim, na Síria. Entre as vítimas estavam membros do coro do Exército que celebrariam o Ano Novo com as tropas russas na Síria.

 
*Estagiário sob supervisão de Anderson Costolli 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade