360 Graus

360 Graus

por Jane Godoy com Sophia Wainer janegodoy.df@dabr.com.br
postado em 01/01/2015 00:00
 (foto: Aureliza Correa/Esp. CB/D.A Press - 19/12/14)
(foto: Aureliza Correa/Esp. CB/D.A Press - 19/12/14)



O Natal no Canadá


No Canadá, o Natal é celebrado de diversas maneiras. Isso porque o Canadá, como o Brasil, é um país que acolheu imigrantes de várias partes do mundo, cujas tradições de festas de fim de ano são influenciadas por seus antepassados e suas religiões.

Assim, não se pode dizer que exista uma característica comum a toda essa diversidade de costumes. O que posso afirmar é que, para a maioria das crianças, o Natal não começa até que a árvore, com sua magia especial, seja enfeitada. Para melhor explicar, apresento alguns exemplos de tradições natalinas em certas regiões do Canadá.

Na manhã do dia 13 de dezembro, em muitas casas na Ilha de Vancouver, segundo o costume sueco, meninas usando uma coroa de Santa Lúcia acordam seus pais com biscoitos feitos de gengibre. No outro lado do país, na província de Terra Nova, o Natal é celebrado de uma maneira bastante original. Há, com certeza, a tradicional árvore de Natal, a missa do Galo e a troca de presentes mas, além disso, os jovens se fantasiam e vão, de porta em porta, visitar as pessoas idosas e doentes. Eles também tocam e cantam nas ruas.

Os precursores desses cantores foram os trovadores da Idade Média. Isolada do resto do país, Terra Nova tem preservado os costumes europeus e seus habitantes, na grande maioria, são descendentes de irlandeses e ingleses. As tradições das colônias francesas são respeitadas no Québec e pelas famílias franco-canadenses no resto do país.

Os preparativos têm início com semanas de antecedência: a família inteira decora a casa, prepara a árvore e monta um pequeno presépio, normalmente colocado junto à árvore, que é decorada com bolas, fitas, lantejoulas, luzes e, no topo, uma estrela.

Na véspera de Natal, o banquete é reservado para a ceia da noite. Após voltarem da missa, família, amigos e parentes se reúnem ao redor da árvore de Natal para trocar os presentes. Todos se sentam então para a melhor e mais farta refeição do ano, cujo cardápio inclui aperitivos e salgadinhos, presunto, peru ou ganso recheado, legumes, salada e torta de frutas.

Nos lares gregos e italianos, balas, frutas e pequenas cestas de guloseimas são penduradas nos galhos da árvore de Natal. Em muitas cidades, pais de origem austríaca ou alemã ensinam a suas crianças como fazer a tradicional coroa de pinheiro e acendem uma vela a cada domingo do Advento. Para os canadenses de origem holandesa, o dia de Natal é passado tranquilamente. Os presentes são trocados duas semanas antes, em 6 de dezembro, dia de São Nicolau, protetor dos estudantes, dos bons meninos e meninas. Nessa mesma data, São Nicolau distribui os presentes para as famílias de origem polonesa e ucraniana.

Para os métis, cultura nascida da união de franco-canadenses com indígenas, o Natal é uma ocasião para uma grande reunião de família. Em 24 de dezembro, têm início as festividades que podem durar duas semanas. Os homens dão tiros de rifle para marcar o início dos festejos. Depois há uma alegre reunião de família, com troca de presentes, e quando se vestem com suas melhores roupas: mocassins, cintos e flechas decoradas com missangas coloridas. A refeição inclui carne de búfalo, caribu, veado ou alce, além de amoras, batatas e arroz integral.

Sendo um país multicultural, nós canadenses reconhecemos as numerosas outras tradições observadas pelas diversas comunidades étnicas e religiosas que compõem nossa nação. Em dezembro, a data importante para a comunidade judaica é Chanucá, uma celebração que dura oito noites. As comunidades muçulmana, sikh e hindu têm suas próprias tradições, igualmente ricas.

Para os canadenses de origem chinesa e persa, o ano-novo em seus calendários tradicionais é a celebração mais importante do ano. Essa diversidade contribui muito para o mosaico cultural e para a riqueza canadense. No Canadá, o Natal sempre é uma época de neve e gelo, mas apesar do frio, também é um tempo para compartilhar votos calorosos para aquecer o coração.

Desejo-lhes Boas Festas e um próspero Ano Novo!

Embaixador Jamal A. Khokhar

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação