>> Sr. Redator

>> Sr. Redator

Cartas ao Sr. Redator devem ter no máximo 10 linhas e incluir nome e endereço completo, fotocópia de identidade e telefone para contato. E-mail: sredat.df@dabr.com.br
postado em 18/08/2017 00:00


Violência

Mais uma vítima do Estatuto da Criança e do Adolescente. Quantas morrem diariamente? O que esse monstro, que saiu de casa ;com vontade de matar;, estava fazendo nas ruas, tendo tantas passagens pela polícia? O problema é que eles só passam, não ficam. Aposto que não demora muito, estará na rua matando outra vez. Uma vez vi na televisão um psiquiatra forense falando que os responsáveis pela liberação de criminosos perigosos, seja de manicômio ou presídios, em condicional, regime semiaberto ou saidões de Natal, Dia das Mães etc. deveriam responder criminalmente pelos crimes que os beneficiados viessem a cometer. Acredito que a maioria da sociedade concorda com isso.
; Lana Cristina Faria da Cunha,
Sudoeste


Água

O rompimento de uma adutora na Estrada Parque Taguatinga (EPTG), em pleno período de racionamento, coloca em xeque o serviço de manutenção do sistema pela Caesb. Hoje, qualquer desperdício de água se tornou um drama, principalmente, quando o governo estuda suspender o fornecimento por 48 horas. Não será nada fácil ficar dois dias sem ter os reservatórios doméstico sem abastecimento. A tarifa é bem cara no DF. Adasa e Caesb têm a obrigação zelar melhor pelo sistema.
; José Afonso de Mendonça,
Taguatinga


Papa Francisco


A mensagem do papa Francisco abençoando casal gay de Curitiba, Toni Reis e David Harrad, que batizou os três filhos na igreja, é a demonstração do apreço que o pontífice tem com uma classe tão humilhada, durante milênios, pelo Cristianismo. Ao dizê-la família, muda o conceito da instituição familiar, só concebível para os cristãos perante união sacramentada na igreja.
; Elizio Nilo Caliman,
Lago Norte

Fundo eleitoral

O dinheiro que sustenta os partidos sai do bolso de todos os brasileiros que pagam impostos. A criação do Fundo Especial de Financiamento da Democracia (FFD) de R$ 3,6 bilhões sairá do Orçamento da União, ou seja recursos públicos, é uma total indecência e desrespeito com o contribuinte. A sociedade não concorda com mais essa manobra esdrúxula articulada pelos desacreditados e ardilosos políticos. É mais absurdo ainda, neste momento de dificuldades do governo para manter as contas públicas sob controle e elevar sua meta de rombo fiscal. Faltam recursos para investir em saúde, segurança e educação, é, no mínimo, estranho que sobrem verbas para bancar campanhas políticas. Mais uma vez, o Legislativo age na contramão dos anseios da sociedade, jogando a conta no bolso do sofrido contribuinte.
; Renato Mendes Prestes,
Águas Claras


Reforma política

Em tempo, o relator da reforma política recuou da estúpida ideia de criar a figura do ;doador oculto;. Não bastassem as brechas para livrar os corruptos da Justiça e garantir que sejam reeleitos, os parlamentares ainda tentam legalizar os canais da corrupção. Embora a lei tenha proibidoas doações de pessoas jurídicas, nas eleições passadas, milhares de candidaturas foram condenadas por burla total da legislação eleitoral. Enquanto o país não se livrar dessa horda de corruptos que comandam o parlamento, o Brasil continuará sendo a menor das nações, só comparável àqueles países sob regime totalitário.
; Joaquim Andrade,
Asa Norte






Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação