Eixo capital

Eixo capital

postado em 08/06/2014 00:00

Os cálculos do tempo de tevê

A aliança entre o PSD e o Solidariedade levou os políticos a desenterrarem a calculadora para fazer projeções sobre o tempo de tevê de cada coligação. O PSD está em negociação avançada com o PSB do senador Rodrigo Rollemberg e a nova parceria é mais um ingrediente que facilita a coligação. A chapa do PT com o PMDB vai dispor de quase 10 minutos, somados os tempos de todas as legendas da base aliada. É espaço suficiente para bombardear o eleitor com mensagens sobre as realizações do governo Agnelo. Se PSD e Solidariedade se acertarem com PSB e PDT, o grupo de Rollemberg passará a ter quase 5 minutos. Ainda é metade do espaço dos candidatos à reeleição, mas a chapa passa a ser competitiva. O Solidariedade, em âmbito nacional,
já anunciou apoio ao PSDB. Integrantes do partido acreditam que isso não será um obstáculo para o acerto no DF, mas há risco de intervenção nacional.


Dupla dinâmica

Eles são jovens empresários que sonham com um mandato parlamentar. Presidente da Abrasel (Associação de Bares e Restaurantes) no DF, Jaime Recena, e Thiago Jarjour, diretor da CDL (Câmara de Dirigentes Lojistas) Jovem, vão fazer dobradinha nas próximas eleições. Filiado ao PSB, Recena, dono de restaurantes, será candidato a deputado federal. Jarjour, do PDT, do ramo de postos de gasolina, pretende concorrer a um mandato de distrital. Os dois vão fazer campanha para Rodrigo Rollemberg e Reguffe, de quem querem seguir os passos.



Brizola na convenção

Já estava tudo certo para o PDT confirmar na convenção regional a aliança com o PSB na próxima quarta-feira. A direção nacional, no entanto, resolveu transferir a data para 21 de junho. O adiamento deixou pedetistas preocupados, mas depois houve o esclarecimento. Será uma homenagem a Leonel Brizola, fundador da legenda, que morreu nesse dia há 10 anos.



Sopro misterioso

O G5, grupo de partidos formado pelos nanicos PEN, PHS, PTdoB, PTC e PSL, trabalha com a possibilidade de lançar uma coligação branca. Seria uma chapa camarão, sem cabeça, para eleger deputados federais e distritais. A ideia é apoiar Agnelo Queiroz (PT) e Tadeu Filippelli (PMDB), sem incluir no pacote a eleição do petista Geraldo Magela ao Senado. O grupo, que pode ganhar mais um partido, o PV, estuda lançar Eduardo Brandão como candidato a senador. O que ganham com isso? Ficam livres para se acertar, lá na frente, com qualquer um dos concorrentes ao Palácio do Buriti, caso os ventos mudem.



Sondagem

Um dos nomes sondados para vice do ex-governador José Roberto Arruda integra o G5. É o deputado Alírio Neto (PEN).


E pode?

O gabinete do deputado distrital Washington Mesquita (PTB) ficou trancado durante a maior parte da última sexta-feira. Alguns servidores chegaram a entrar no local, mas apenas para buscar documentos. Eles explicaram a colegas de outros gabinetes da Câmara Legislativa que a determinação era de engajamento total na organização da Festa de Pentecostes, em Taguatinga, que começou na sexta. Um evento religioso e particular, só para lembrar.


Grampo indiscreto

Em conversas captadas em interceptações telefônicas da Operação Átrio, o ex-adminstrador de Taguatinga Carlos Jales xinga o líder comunitário Charles Guerreiro, que atua na cidade. Jales chama o líder de ;bosta; e diz que ;nunca viu um cara tão asqueroso;. O ex-administrador afirma ainda que as denúncias do caso ;foram por causa dele; e que ;ele fica enchendo o saco;.

Amigos

O secretário de Comunicação e Publicidade do DF, André Duda, nega rumores levantados pelo presidente do DEM-DF, Alberto Fraga, de que a prisão do empresário Paulo Octávio teve uma conotação política. ;Essa hipótese é absurda. Paulo Octávio sempre foi tratado como um aliado do governo. O embate com os partidos de oposição se dará no campo democrático. No voto;.

De olho no crédito

O governo vai criar a terceira edição do Programa Recupera DF, o projeto de regularização de débitos da Secretaria de Fazenda. O projeto será enviado à Câmara Legislativa nesta semana. Nas duas primeiras edições, o GDF conseguiu recuperar mais de R$ 350 milhões.

Curtindo a liberdade

Liberado da prisão na madrugada de ontem, Paulo Octávio foi para casa encontrar a família. De manhã, voltou ao trabalho. Um dos compromissos foi a inauguração da loja Havan, em Vaparaíso. O empreendimento tem como marca uma big estátua da liberdade na entrada.


De olho no Entorno

O PT não quer desgrudar do Entorno. Reduto eleitoral de oposicionistas, como Roriz e Arruda, a região é vista como trunfo pelos políticos, já que cerca de 150 mil moradores votam no DF. Na semana passada, Agnelo Queiroz se reuniu com aliados locais para discutir um plano conjunto de campanha na região.


Parabéns

Candidatos aprovados
no concurso do Procon receberam um estranho telefonema. Do outro lado da linha, o distrital Rôney Nemer (PMDB) parabenizava os novos servidores pela conquista. Uma das candidatas que recebeu a ligação ficou intrigada: ;como é que ele conseguiu o meu telefone?;, questionou a jovem.

Mandou bem

O Hospital Materno-Infantil (Hmib), na Asa Sul, realizou na semana passada uma cirurgia inédita na rede pública do DF. Os médicos retiraram um tumor benigno do pulmão de um bebê que ainda estava no útero da mãe. A menina Ana Heloysa nasceu bem e completa hoje duas semanas de vida.

Mandou mal

Uma mulher de 34 anos foi presa na última segunda-feira acusada de racismo contra um taxista. Segundo o Ministério Público, que apresentou denúncia, Marlucia Aureniva Coelho, 34 anos, xingou e ofendeu o homem depois de discordar do valor de uma corrida. Ela pagou fiança e foi solta.

À QUEIMA-ROUPA

Augusto Carvalho,
presidente regional do Solidariedade

Por que uma aliança com o PSD?
Os nossos partidos são novos e têm o mesmo projeto, que é eleger um bom número de deputados federais. É claro que isso não será a qualquer preço, não estamos à venda. Se a discussão fosse fazer isso em troca de apoio e de estrutura, não faríamos nem essas tratativas. Temos programas e preocupações em comum, como a questão do Entorno. O PSD e o Solidariedade querem manter a presença no Congresso Nacional para participar dos grandes projetos de mudança do país.

l l l

Nacionalmente, o Solidariedade fechou com o PSDB para apoiar Aécio Neves.
O partido tem carta branca para tomar outro rumo no DF?
É claro que tenho um projeto nacional, quero mudança, transformações. Mas aqui em Brasília queremos construir

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação