Laura Fraiz-Grijalba, 22 anos, vídeo

Laura Fraiz-Grijalba, 22 anos, vídeo

postado em 08/08/2018 00:00
 (foto: Arquivo pessoal)
(foto: Arquivo pessoal)

;Proponho um contra-ataque ao olhar do homem, é uma afronta a esse olhar masculino;
Laura Fraiz-Grijalba





Nascida em São Paulo e radicada em Brasília há seis anos, Laura Fraiz-Grijalba, 22 anos, trabalha principalmente com gravura e vídeo.

A internet é uma de suas fontes. É lá que encontra os elementos dos quais se apropria para criar as obras. Laura usa a imagem para falar sobre memória, violência e intimidade.

No Transborda, ela participa com dois trabalhos: Inside my baby, de 2016, é sobre uma criança que quer descobrir o que tem dentro do filho, do boneco.

;Fui tirando várias carnes de dentro do vídeo, tipo coração de galinha, umas coisas assim;, avisa a artista.

Mordente, de 2018, é uma colagem de imagens da internet e fala sobre o que é ser mulher, sempre sob observação, no mundo contemporâneo.

;Proponho um contra-ataque ao olhar do homem, é uma afronta a esse olhar masculino;, explica a artista. Aluna da UnB e egressa de uma família de artistas, Laura ficou surpresa ao ser selecionada.

Ela pensou que o prêmio era mais destinado a professores e artistas formados. ;Eu considero meu trabalho meio estranho, ano passado, tinha uns artistas que já eram mais conhecidos, mas desta vez veio uma coisa mais nova, mais fresca que não é muito conhecida, e isso é muito bom;, repara.

;Acho que meu processo surge de um incômodo, de uma ideia. Para Mordente, eu me vi de vestido assim na rua, e quis falar sobre isso, filmei essa cena e depois fui costurando com vídeos que vi na internet, que são referências. Mas os temas, eu realmente não sei de onde vêm.;





Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação