Sr. Redator

Sr. Redator

Cartas ao Sr. Redator devem ter no máximo 10 linhas e incluir nome e endereço completo, fotocópia de identidade e telefone para contato. E-mail: sredat.df@dabr.com.br

postado em 09/08/2017 00:00
Pessimismo
A longa entrevista da sr; Mônica de Bolle, publicada no Correio Braziliense (7/8, pág. 4), traduz um pessimismo extremo quanto à economia almejada pelo governo Temer. É difícil acreditar que uma pesquisadora, vinculada a instituto internacional, só apresente fatos negativos sobre a política brasileira. Há algum interesse não declarado, mas que se sobressai nas entrelinhas. As coisas boas passam ao largo. Não viu que a inflação, nesse curto período de governo, baixou, o desemprego também, o povo está mais feliz, a indústria e o agronegócio estão em uma boa fase e tudo corre bem. Quem pensou em liberar FGTS retido em conta inativa há quase meio século? Como dizer, sem justificativa, que ;Temer é um governo fraco?; A doutora parece atrelada ao PT.
; José Lineu de Freitas,
Asa Sul

Justiça
A denúncia, que circula nas redes sociais, feita pelo senador Jorge Viana, do PT do Acre, aponta que o quadro de funcionários do egrégio Conselho Nacional de Justiça foi previsto quando da sua instituição, há pouquíssimos anos, em 60 servidores, estaria hoje com cerca de 1.500, o que é de envergonhar todo cidadão de bem deste país. Cabe destacar ainda os faustosos prédios que a nossa Justiça construiu nos últimos anos, à custa do sofrido povo brasileiro. Esses prédios nababescos são de dar inveja aos países do primeiro mundo. Êta, Brasil rico o nosso. Com a palavra os nobres senhores magistrados.
; Joares Antonio Caovilla
Asa Norte

Congresso
A manutenção das duas casas do Congresso Nacional consome uma verdadeira fortuna dos cofres públicos. Infelizmente, os contribuintes brasileiros não obtém a reciprocidade, pois desde que surgiu a Operação Lava-Jato, quase nada de interesse da população foi votado. Nossos ilustres parlamentares só se preocupam com interesses próprios e as matérias debatidas em plenário são: anistia de caixa dois, manter a regalia de foro privilegiado, invalidar a decisão do Supremo, que permite a prisão de réus condenados em segunda instância e outras trapaças perpetradas na calada da madrugada. Enquanto isso, as reformas trabalhista, tributária, política e outras necessárias, estão sendo proteladas.
; Celso Benini,
Asa Norte

PT e futebol
Duas situações que me deixaram a imaginar porque acontecem ou melhor, todo mundo sabe e permite acontecer. A primeira, diz respeito à atual presidente do PT, pois todo mundo sabia que ela estava e está enrolada com a Polícia Federal, conforme é destacado no Correio Braziliense (8/8) e, mesmo assim, a elegeram. E pior, os radicais do partido ainda pensam em governar o país. A segunda, como torcedor e fanático por futebol, refiro-me ao jogo entre o Chapecoense e o Barcelona. Por mais que aleguem que se tratava de um amistoso, foi vergonhoso o Chape levar uma goleada. Uma total falta de respeito com os demais clubes brasileiros.
; Montesquieu T Alves
Lago Norte

Descortesia
Só mesmo chamando o ex-Rei Juan Carlos da Espanha para dizer ;Por que não te calas?;, como fez com Hugo Chaves, para ver se o ministro Gilmar Mendes pare de falar besteira. Depois do vexame do julgamento do TSE, que absolveu a chapa Dilma/Temer ;por excesso de provas;, agora resolveu dizer impropérios contra o procurador-geral Rodrigo Janot. Dizer que Janot é o mais desqualificado procurador que já passou pela Procuradoria-Geral da República, além de ser um desrespeito inominável contra o chefe de outro poder, é uma tremenda descortesia e indelicadeza para com a figura pessoal do procurador -geral. O ministro deveria se espelhar nas figuras discretas dos ministros Celso de Mello, Rosa Weber, Cármen Lúcia e outros, pois esses ataques não condizem com o cargo que ocupa, até porque parecerá antipatia pessoal votar contrário a qualquer denúncia vinda da Procuradoria-Geral.
; Paulo Molina Prates,
Asa Norte

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação