Ministro diz ter planos B, C e D

Ministro diz ter planos B, C e D

postado em 12/11/2017 00:00
 (foto: Ed Alves/CB/D.A. Press - 4/1/17)
(foto: Ed Alves/CB/D.A. Press - 4/1/17)
A falta de interessados no grande projeto do Ministério de Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTIC) e da Telebras parece não preocupar o governo. Ou assim dizem o ministro do MCTIC, Gilberto Kassab, e o presidente da estatal de telecomunicações, Maximiliano Martinhão.

;Não existe nenhuma preocupação. Foi a primeira etapa do processo. É mais do que compreensível que um leilão possa dar vazio. Agora temos planos B, C e D. A Telebras está executando os demais planos e, em alguns dias, teremos novidades;, garante Kassab. O ministro admite a possibilidade de a própria Telebras operar a capacidade do SGDC, embora não considere a melhor opção. ;A Telebras é eficiente para isso, mas, se pudermos fugir desse modelo de operação, será melhor;, afirma. No decreto que refundou a Telebras, está previsto que a empresa pode atender ao usuário final em áreas onde a prestação de serviço de internet seja ineficaz dentro dos critérios do ministério.

Conforme Martinhão, entre as possibilidades estudadas pela companhia estão o relançamento do edital com outras condições, a Telebras assumir o projeto sem parceiros privados, como já faz na rede externa de fibra ótica, e a contratação direta de uma operadora. ;A Telebras já trabalhava com a possibilidade de sala vazia dentro da gestão de risco. Nas conversas preparatórias do edital, mapeamos qual seria o caminho se isso ocorresse. E ocorreu, não porque nosso processo não era bom, mas por diversas circunstâncias econômicas que o país passa;, justifica. ;Conseguimos colocar ele em pé no fim de outubro, de maneira muito rápida. O processo foi bastante elogiado por todos os participantes. Fizemos inúmeras reuniões, adiamos prazos para que todos pudessem participar. Esclarecemos dúvidas, atuamos com órgãos de controle;, completa Martinhão.

O presidente da Telebras destaca também que a banda X, dos militares, está operando e que o projeto de acesso à internet continua de pé. ;As cinco estações terrestres (Salvador, Florianópolis, Cuiabá, Brasília e Rio de Janeiro) estão sendo implantadas. Não houve nenhuma contingência. Em relação aos agentes privados, estamos trabalhando para identificar a melhor forma de parceria;, reitera. (SK)

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação